Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Emmy 2020: Os altos e baixos da premiação em sua versão virtual

Cerimônia feita de forma on-line superou as expectativas e conseguiu ser, na medida, divertida e ousada

Por Raquel Carneiro 21 set 2020, 00h27

Uma das preocupações da produção do Emmy 2020 era que a glamourosa premiação, em sua primeira versão virtual, acabasse sem graça, com cara de reunião do zoom. Isso não aconteceu. Apesar dos pesares, a cerimônia foi bem divertida e sem micos – exceto por um quase acidente, quando Jennifer Aniston penou para apagar o fogo ateado pelo apresentador Jimmy Kimmel ao envelope previamente higienizado por ele e queimado, para limar qualquer vestígio do coronavírus. Abaixo alguns dos destaques, pontos altos e baixos da premiação.

Jennifer Aniston e Jimmy Kimmel no Emmy 2020 //Reprodução

Boa abertura

Jimmy Kimmel começou a premiação dentro dos padrões, com um discurso de abertura engraçado e uma plateia repleta de estrelas gargalhando. Porém, em determinado momento, a plateia desapareceu e ele revelou que estava sozinho, em um ginásio, apenas com fotos de celebridades nas cadeiras. Antes da imagem levemente melancólica do apresentador solitário, a edição com cenas antigas das celebridades na plateia fez um bom trabalho em relembrar aos espectadores qual o clima dessas premiações. As piadas também foram afiadas. “É melhor apresentar esse prêmio do que apresentar sintomas”, disse Kimmel logo no começo. Em seguida, ponderou. “Tem quem ache fútil fazer uma premiação no meio da pandemia. Mas sabe o que é fútil? Fazer isso todos os anos”. O apresentador ainda ressaltou que a diversão se fazia necessária, e que a pandemia evidenciou uma velha amiga: a televisão. “Ela está lá sempre para te animar”, disse. Em seguida, o apresentador foi a outro cenário, de onde apresentou os prêmios, conversou com celebridades em casa, e recebeu outras no palco.

Jimmy Kimmel solitário na apresentação do Emmy 2020 //Reprodução
Jimmy Kimmel no 72º Emmy Awards //AFP

Festinhas particulares

Com as celebridades em casa, algumas organizaram festinhas particulares com distanciamento social. Caso do elenco de Schitt’s Creek, com looks combinados e uma pessoa vestida de “astronauta”, completamente coberta com uma roupa de plástico, entregando as estatuetas; e de Pequenos Incêndios por Todas as Partes, que ainda fizeram uma contagem regressiva para adiantar o Ano Novo e finalizar 2020. As atrizes de Friends, Jennifer Aniston, Courteney Cox e Lisa Kudrow, ainda fizeram uma participação especial (foto no topo), dizendo que moravam juntas desde os anos 1990 — um mimo para os fãs da sitcom.

Elenco de ‘Pequenos Incêndios Por Toda Parte’ reunido para o 72º Emmy Awards TNT/Reprodução

Discursos políticos

Assim como acontece no palco da premiação, alguns atores aproveitaram seus discursos para fazer protestos políticos. O próprio Jimmy Kimmel fez piadas com Donald Trump (“Claro que por segurança não temos uma plateia, isso não é um comício do Trump”) e sobre a recusa de alguns estados conservadores em usar máscaras (“Watchmen é uma distopia muito realista, exceto quando mostra pessoas no interior de Oklahoma usando máscaras”).

Regina King, vencedora do troféu de melhor atriz em minissérie pela série Watchmen, e Uzo Aduba, que ganhou o prêmio de atriz coadjuvante por Mrs America, usaram camisetas em homenagem a Breonna Taylor, mulher negra assassinada por policiais dentro da própria casa. Mark Ruffalo fez um discurso acalorado pedindo por mais compaixão e que as pessoas votem nas próximas eleições. Já Anthony Anderson, da comédia Black-Ish, aproveitou seu tempo no palco como apresentador de um dos prêmios para exaltar o movimento Black Lives Matter.

Regina King vence o Emmy por ‘Watchmen’ //Reprodução
  • Excessos de prêmios para Schitt’s Creek

    Era esperado que a série de comédia canadense levasse alguns dos principais prêmios da noite, especialmente nas categorias de atuação. A sitcom, porém, passou o rodo e levou os sete troféus de comédia da noite. Apesar de interessante, Schitt’s Creek, que chegou ao fim em sua sexta temporada, merecia menos. A filosófica The Good Place, também em sua última temporada; a ousada Insecure; e a pop The Marvelous Mrs. Maisel poderiam ter conquistado algumas das categorias, deixando a premiação mais equilibrada.

    Comemoração do elenco de ‘Schitt’s Creek’, no 72º Emmy Awards //AFP

    As boas surpresas

    Enquanto Watchmen confirmou o favoritismo entre as minisséries, e Succession nas categorias de drama, alguns atores conseguiram furar o bloqueio dos elencos destes títulos, se mostrando interessantes surpresas. Caso de Mark Ruffalo, melhor ator em minissérie por I Know This Much is True, e atriz coadjuvante para Uzo Aduba, por Mrs. America. Nenhuma surpresa, porém, bateu o prêmio de Zendaya como melhor atriz dramática por Euphoria. A moça de 24 anos superou as veteranas Olivia Colman (The Crown) e Laura Linney (Ozark), e se tornou a mais jovem a levar o prêmio.

    Mark Ruffalo leva Emmy pela série I Know This Much is True //Reprodução
    A atriz Zendaya recebendo o prêmio de Melhor Atriz em Série Dramática no 72º Emmy Awards //Reprodução

    Tapete vermelho no tapete de casa

    Sem o evento presencial, o Emmy cancelou o tapete vermelho. Para amenizar a lacuna, o canal E! apresentou uma versão virtual do momento pré-premiação. Os apresentadores do programa, devidamente vestidos de gala, conversaram com alguns indicados de forma virtual – com direito à manjada pergunta “o que você está usando hoje?” e até participações especiais de cachorros, como o da atriz Rachel Brosnahan, da série The Marvelous Mrs. Maisel. Rachel, aliás, respondeu à pergunta do look dizendo que usava um “pijama fashion”, que depois seria leiloado para caridade. O esforço do canal foi válido e curioso, mas de forma alguma superou a emoção causada pela chegada dos artistas com suas roupas glamourosas.

    Continua após a publicidade
    Publicidade