Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Elton John faz festa por 30 anos de sobriedade: ‘Eu poderia estar morto’

O cantor começou a usar cocaína em 1974 e passou 16 anos dependente de drogas e álcool antes de buscar tratamento

Por Eduardo F. Filho Atualizado em 30 jul 2020, 12h00 - Publicado em 30 jul 2020, 11h44

O cantor Elton John celebra a vida em duas datas distintas. Uma delas, seu nascimento, no dia 25 de março — ele completou 73 anos em 2020 —, e a outra foi comemorada na noite desta quarta-feira, 29, pelos 30 anos de sua sobriedade. “Refletindo sobre esse dia mágico em que celebrei meu aniversário de 30 anos de sobriedade. Muitos cartões adoráveis, flores e salgadinhos dos meus filhos. David, amigos do programa [Alcoólicos Anônimos], equipe no escritório e em suas casas. Eu sou realmente abençoado. Se eu não tivesse finalmente dado o grande passo há 30 anos, eu poderia estar morto. Obrigado – do fundo do meu coração – a todas as pessoas que me inspiraram e me apoiaram nessa jornada”, escreveu o cantor em suas redes sociais com imagens da comemoração intimista ao lado do marido e dos filhos. 

View this post on Instagram

Reflecting on the most magical day having celebrated my 30th Sobriety Birthday. So many lovely cards, flowers and chips from my sons, David, friends in the Program, staff at the office and in our homes. I’m truly a blessed man. If I hadn’t finally taken the big step of asking for help 30 years ago, I’d be dead. Thank-you from the bottom of my heart to all the people who have inspired and supported me along the way. 🙏🏻🙏🏻❤️❤️😇😇

A post shared by Elton John (@eltonjohn) on

Elton John começou a usar substâncias ilícitas em 1974. “Isso faz você se sentir livre, disse o cantor em entrevista ao canal NBC nos Estados Unidos sobre quando usou cocaína pela primeira vez. Ele conta que passou os anos 1980 imerso em outras drogas e abusando do álcool. Ao todo foram 16 anos dominado pelo vício, o que culminou em uma tentativa de suicídio e a busca por ajuda médica em 1990.

A vida de Elton John é retratada no filme Rocketman, com atuação de Taron Egerton na pele do cantor. Na produção, John pediu para que as cenas regadas a drogas e sexo não fossem atenuadas. “Eu simplesmente não levei uma vida com a classificação indicativa ‘apropriado para menores de 13 anos'”, revelou o cantor.

ASSINE VEJA

Os ‘cancelados’ nas redes sociais Leia nesta edição: os perigos do tribunal virtual. E mais: nova pesquisa sobre as eleições presidenciais de 2022
Clique e Assine

De acordo com o artista, a divergência entre suas preferências e o desejo dos estúdios foi a razão pela qual o projeto demorou duas décadas para sair do papel – antes do acordo de produção com a Paramount Pictures, o longa foi sondado pelo Walt Disney Studios e pela Focus Features.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)