Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Ellen DeGeneres demite três executivos após denúncias de assédio

Em uma reunião virtual com seus mais de 200 funcionários, a apresentadora pediu desculpas e prometeu um ambiente de maior diversidade e inclusão

Por Eduardo F. Filho Atualizado em 18 ago 2020, 14h56 - Publicado em 18 ago 2020, 14h04

Após denúncias de má conduta no ambiente de trabalho, com episódios de racismo e assédio moral, a apresentadora americana Ellen DeGeneres demitiu seus três principais produtores executivos: Ed Glavin, Kevin Leman e Jonathan Norman. Ed Glavin é um dos mais citados pelos funcionários que divulgaram as acusações no site de notícias BuzzFeed.

Ellen os substituiu promovendo nomes que trabalham no programa The Ellen DeGeneres Show desde seu início, em 2003, são eles: Mary Connelly, Andy Lassner e Derek Westervelt. A notícia da reformulação foi anunciada durante uma videoconferência que Ellen realizou com seus mais de 200 funcionários na tarde desta segunda-feira, 17. Segundo o site americano Variety, a apresentadora disse à equipe que “não é perfeita” e percebeu que, no esforço para que o programa funcionasse como uma “máquina bem lubrificada”, às vezes os líderes não eram tão sensíveis aos “seres humanos” como deveriam ser. Ellen pareceu estar bastante emocionada e chorou ao acrescentar que “partiu o seu coração” ler alegações perturbadoras sobre a atmosfera do programa.

ASSINE VEJA

A encruzilhada econômica de Bolsonaro Na edição da semana: os riscos da estratégia de gastar muito para impulsionar a economia. E mais: pesquisa exclusiva revela que o brasileiro é, sim, racista
Clique e Assine

A reunião também serviu para divulgar o resultado da investigação interna feita pela Warner Bros. após as denúncias. Segundo o relatório, feito a partir de entrevistas com mais de 100 pessoas conectadas ao programa, não há constatação de racismo “sistêmico” no show, embora haja o reconhecimento de que novas medidas deveriam ser aplicadas em prol de uma maior diversidade e inclusão. Ellen finalizou seu discurso se desculpando com todos os funcionários, prometendo que a partir daquele momento iria seguir os cronogramas acordados para tornar o processo de produção mais suave para todos e jurou que ela e todos na equipe participarão de workshops de diversidade e inclusão.

A 14ª temporada do programa The Ellen DeGeneres Show está prevista para estrear no dia 14 de setembro pela rede NBC nos Estados Unidos. A apresentadora enfatizou que estava “orgulhosa” do sucesso do programa e expressou gratidão aos funcionários. “Esta será a melhor temporada que já tivemos”, disse, motivacional.

Entenda o caso

Em julho, o site BuzzFeed publicou uma matéria com a denúncia de dez ex-funcionários e um atuante do programa The Ellen DeGeneres Show. Segundo os relatos, eles enfrentaram episódios de racismo, medo e intimidação nos bastidores da atração exibida pelo canal americano NBC. Ex-funcionários relataram demissões logo após uma licença médica ou dias de luto por um ente querido. Uma funcionária negra que trabalhou durante um ano e meio no programa afirma que experimentou comentários racistas e “micro-agressões” no escritório.

Continua após a publicidade

Publicidade