Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

VEJA Gente Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Valmir Moratelli
Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios
Continua após publicidade

O que esperar da segunda noite de desfiles na Sapucaí

Mocidade, Portela, Vila Isabel, Mangueira, Tuiuti e Viradouro brigam pelo título na avenida

Por Giovanna Fraguito Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO , Valmir Moratelli Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 12 fev 2024, 18h19 - Publicado em 12 fev 2024, 10h00

Os desfiles das escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro terminam nesta segunda-feira, 12. Seis escolas fecham o Carnaval, que já rendeu momentos apoteóticos na noite de ontem. Agora é a vez de: Mocidade, Portela, Vila Isabel, Mangueira, Tuiuti e Viradouro.

Mocidade – Penúltima colocada em 2023, chega com o samba mais escutado e cantado do pré-carnaval. O enredo Pede Caju que Dou… Pé de Caju que Dá! apresenta as histórias, lendas e curiosidades da fruta. A proposta mais leve não tem fundo político. Quem também chama atenção no desfile é a rainha de bateria Fabíola de Andrade, mulher do patrono da escola da Zona Oeste do Rio.

Portela – Depois de um decepcionante desfile sobre o centenário da escola, em 2023, os novos carnavalescos, André Rodrigues e Antônio Gonzaga, apostam em uma renovação de estilo. O apelo emotivo do enredo Um Defeito de Cor, baseado no romance da escritora Ana Maria Gonçalves, se junta a outros fatores, como o samba e a bateria, para valorizar a escola. A dupla de estreantes na azul e branco ressalta que o tema foi pensado para que refletisse a realidade de todas as mães pretas.

Vila Isabel – Terceira colocada em 2023, segue com o carnavalesco Paulo Barros, reconhecido pelas inovações tecnológicas. Para 2024, aposta na reedição de um clássico: Gbala, Viagem ao Templo da Criação, de 1993. A escola retrata a história ancestral, sob a ótica das religiões de matriz africana, quando os orixás reuniram crianças de todo o mundo para que pudessem ir ao “templo da criação”. Entre os pontos fortes, a equipe para comissão de frente e alegorias.

Mangueira – Quinta colocada no ano passado, vem com o enredo há muito tempo esperado: a homenagem ao ícone Alcione. A Negra Voz do Amanhã, assinado pelos carnavalescos Guilherme Estevão e Annik Salmon, mostra a história da Marrom, assim como a relação com a música e a cultura do estado onde nasceu, o Maranhão. Mesmo que se esperasse muito mais do samba, vem sendo muito cantado pela comunidade nos ensaios.

Continua após a publicidade

Tuiuti – Em 2023 a escola ficou em oitavo lugar e, logo após o Carnaval, perdeu o carnavalesco, os coreógrafos e o intérprete para outras escolas. Este ano, entra na avenida para contar a história do marinheiro João Cândido, o Almirante Negro, líder da Revolta da Chibata, em 1910. O enredo, assinado pelo carnavalesco Jack Vasconcelos, reforça o nome do homenageado como um grande herói do povo brasileiro. Além da força da história, o samba e a impecável bateria são pontos altos da azul e amarelo.

Viradouro – Última escola a desfilar, foi a vice-campeã de 2023. A agremiação de Niterói mostra a força da mulher negra por meio do culto à cobra sagrada e à sabedoria africana em 2024. O enredo Arroboboi, Dangbé, do carnavalesco Tarcísio Zanon, pretende desmistificar a batalha que transformou uma cobra em deusa na África. A rainha de bateria, a atriz Erika Januza, promete essa transformação no desfile.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.