Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Tela Plana

Por Kelly Miyashiro Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming
Continua após publicidade

‘Sob Pressão’ se esforça, mas vira reprise pálida da pandemia

Especial da série médica da Globo inunda tela de cenas bem conhecidas do combate à doença - e não traz nada palpitante além da atuação de Marjorie Estiano

Por Raquel Carneiro Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 22 dez 2020, 12h48 - Publicado em 7 out 2020, 11h51

O ano de 2020 tem sido, no mínimo, traumático. A pandemia da Covid-19 transformou cotidianos ao redor do planeta, trouxe dor, luto, discórdia e perplexidade. Na tradicional retrospectiva de fim de ano, exibida pelos canais de TV, algumas cenas são facilmente esperadas. Como os rostos de médicos marcados pelo cansaço, tristeza e o uso de aparatos de segurança. Pacientes intubados, famílias que se despedem, e curados aplaudidos na saída do hospital com a plaquinha “eu venci a Covid-19”.

Tais cenas, que infelizmente já se tornaram clichês de tão abundantes, conduzem o especial da Globo Sob Pressão – Plantão Covid, que exibiu seu primeiro episódio na noite de terça-feira, 6 — um segundo capítulo será transmitido na terça da próxima semana, no dia 13.

Em um hospital de campanha cenográfico, os médicos Evandro (Julio Andrade), Carolina (Marjorie Estiano) e companhia se desdobram para lidar com a crise. Estão representados ali o estresse e a aflição da rotina de correria e perdas; a falta de respiradores; os erros (ou a corrupção) de governos que “somem” com a aparelhagem necessária; o impasse entre escolher ou não passar na frente os pacientes com mais chance de sobreviver. A arte imita a vida. Mas a vida tem se transformado com tanta rapidez que a arte, neste caso, se resignou ao papel de reprise — e toda reprise, mesmo bem feita, encara dificuldades para provocar as mesmas emoções do original.

Continua após a publicidade

Quem assistiu ao noticiário ou acompanhou vídeos pelas redes sociais nos últimos meses viu à exaustão os dilemas apresentados na série. Assim, Sob Pressão ficou com cara de documentário de ritmo acelerado, sem dar ao espectador a chance de se conectar melhor com os novos personagens — uma característica que a série, em seu ritmo normal, costuma fazer bem. Já próximo do final, uma virada salvou o episódio. Marjorie Estiano, um estouro em cena, surge exausta, suada, com o rosto machucado pelos óculos de proteção e pela máscara, e lágrimas nos olhos após um médico ser intubado. Ela precisa tirar foto para o novo crachá de tamanho especial (usado nos hospitais para que o paciente veja o rosto do profissional). Em alguns segundos, a atriz resumiu sem palavras, mas com muita carga dramática o que o episódio inteiro se esforçou para passar: a pandemia não acabou e, para muitos, especialmente para os profissionais da saúde, suas marcas talvez sejam permanentes.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.