Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

A decisão reveladora do presidente do partido de Bolsonaro sobre as urnas

Entenda 

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO 21 nov 2022, 16h26

A ideia fixa – e sem fundamento – do presidente Jair Bolsonaro de contestar o resultado das eleições foi abraçada por Valdemar Costa Neto, presidente do PL, e agora o político afirma que a legenda vai pedir a revisão de algumas urnas que, segundo ele, não podem ser consideradas.

Enquanto Bolsonaro permanece em silêncio, Valdemar disse em vídeo divulgado no sábado, 19, que o partido vai apresentar proposta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O presidente do PL jura que não quer tumultuar a vida do país, mas endossou a ideia de iniciar um terceiro turno exatamente como Bolsonaro deseja.

“Nada de ter nova eleição, não vamos propor nada disso, não queremos tumultuar a vida do país. Mas tem umas urnas que têm que ser revistas e nós vamos propor para o Tribunal Superior Eleitoral até terça-feira essa nova proposta”, disse Valdemar.

O presidente do PL fala em um estudo quer foi realizado sem informar a fonte e diz que várias urnas não podem ser consideradas no resultado da eleição.

“Pelo estudo que fizemos, têm várias urnas que não podem ser consideradas. É no Brasil inteiro, de 2020 para baixo. São as urnas antigas. Todas elas têm o mesmo número, não tem como controlar. […] Temos a prova e vamos mostrar que essas urnas não podem ser consideradas. Vamos ver o que o TSE vai resolver”, afirmou.

Continua após a publicidade

Valdemar, que é ex-deputado e foi condenado por corrupção no escândalo do mensalão, tornou-se aliado de primeira hora de Bolsonaro. Nas eleições deste ano, seu partido, o PL, elegeu a maior bancada da Câmara, com 99 deputados. Uma parte deles, composta por extremistas bolsonaristas, pressiona Valdemar a questionar o resultado da eleição.

A coluna já adiantou que o silêncio de Bolsonaro está perto de acabar. É bem provável que o presidente queira reaparecer depois que essa denúncia do PL for apresentada ao TSE. O presidente deve fazer críticas severas ao novo governo e ganhará impulso para defender o terceiro turno e fortalecer seu discurso mentiroso de que o processo eleitoral brasileiro tem falhas.

Provavelmente pressionado a defender o presidente que foi para o seu partido e trouxe dezenas de parlamentares, Valdemar deve fazer o papel de acusador mesmo que as provas não tenham fundamento e que as suspeitas sejam fruto da imaginação bolsonarista que não aceita a derrota.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.