Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho e Isabella Alonso Panho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Cidade com alto índice de idosos, Santos vacina o triplo da média nacional

Com 20% dos moradores com idades acima de 60 anos, município do litoral paulista já imunizou 12% da população enquanto o país atingiu 4% e o estado, 5,4%

Por Tatiana Farah Atualizado em 9 mar 2021, 17h21 - Publicado em 9 mar 2021, 11h31

Uma das cidades com alto índice de idosos no país, Santos, no litoral de São Paulo, já vacinou 12% da população — a taxa é o triplo da média nacional (4%) e mais que o dobro da estadual (5,4%). Desde o início da vacinação, foram aplicadas 63.542 doses de imunizante na população local, sendo que 4% dos moradores já receberam a segunda dose do fármaco, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira, 8, pela Secretaria Municipal de Saúde.

Santos tem uma população de 433,6 mil habitantes, sendo que mais de 20% têm idade acima de 60 anos. A média nacional para essa faixa etária é de 14%. O número de idosos, um dos grupos prioritários para vacinação, é um dos critérios para a distribuição de doses pelo Plano Nacional de Imunização. “Apostamos na velocidade da vacinação. Quando chegamos à imunização da faixa etária de 85 anos ou mais, fizemos tudo em apenas um dia”, afirmou à VEJA o prefeito Rogério Santos (PSDB).

O trabalho de vacinação começou antes mesmo que o prefeito tomasse posse do cargo em janeiro. No ano passado, durante a transição de governo, a cidade deu início a um plano de imunização, contratou e treinou 200 profissionais de saúde para vacinar a população. “Estamos usando todas as unidades básicas de saúde, ginásios esportivos, quadras de escola de samba e drive-thru. A média de espera em uma policlínica é de 40 minutos e a do drive-trhu é de duas horas”, afirmou o prefeito.

Continua após a publicidade

Santos já registrou 1.115 mortes e 36,8 mil casos da doença desde o início da pandemia, no ano passado. Hoje, as taxas de ocupação de leitos de enfermaria e  de UTI estão abaixo da média paulista — 51% e 61%, respectivamente, contra 64,8% e 80,9% do estado. Dos 171 internados em estado grave, 59%  são de cidades vizinhas. O município tem 630 leitos para Covid-19, sendo 257 de UTI. 

“Estamos na fase vermelha como todo o estado de São Paulo, mas nossos indicadores estão na fase amarela. A situação é de um certo controle, mas estamos muito preocupados com o quadro nacional. A gente sabe que o vírus não tem fronteira”, disse Rogério Santos.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.