Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Após tumulto, votação de privatização da Sabesp é suspensa na Alesp

Polícia foi acionada após manifestantes começarem a gritar palavras de ordem e tentarem interromper a sessão; expectativa é que votação seja retomada hoje

Por Laísa Dall'Agnol Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 6 dez 2023, 19h59 - Publicado em 6 dez 2023, 19h41

A votação da privatização da Sabesp foi suspensa na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) após tumulto causado por manifestantes que protestavam contra o projeto, no início da noite desta quarta-feira, 6.

Desde o início da sessão, o público nas galerias gritava palavras de ordem e interrompia as falas dos deputados. Parte dos manifestantes tentou derrubar o painel de vidro que separa a área destinada aos populares dos deputados. O presidente da Casa, deputado André do Prado (PL), acionou a polícia, que conteve a multidão com gás de pimenta. Em seguida, o parlamentar suspendeu a votação — a expectativa é que a sessão seja retomada nas próximas horas desta quarta. Do lado de fora do Plenário, houve um princípio de confronto dos manifestantes com a polícia.

Na última terça-feira, 5, a discussão também foi marcada por empurra-empurra e bate-boca entre deputados do PT e do PL e a sessão também precisou ser suspensa por alguns minutos.

View this post on Instagram

A post shared by Lucas Bove (@lucasbovesp)

Continua após a publicidade

Projeto

Uma das principais promessas de campanha do atual governador Tarcísio de Freitas, o projeto de privatização da Sabesp foi enviado pelo Executivo à Alesp em 17 de outubro. O governo defende que a desestatização irá permitir o aumento dos investimentos na companhia — dos atuais 56 bilhões de reais para cerca de 66 bilhões de reais até 2033 –, a antecipação da universalização do acesso a saneamento em quatro anos, até 2029, e o barateamento da tarifa ao consumidor.

De relatoria do deputado Barros Munhoz (PSDB), o texto que será votado nesta quarta-feira estipula que, com a privatização, o governo poderá diminuir sua participação na companhia — hoje em 50,3% –, mas sem definir qual será o percentual estatal exato. Tarcísio tem defendido uma parcela entre 15% e 30%, mas o percentual exato deverá ser definido fora do âmbito de votação, na próxima fase de estudos prevista para janeiro.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.