Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Em Cartaz Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Raquel Carneiro
Do cinema ao streaming, um blog com estreias, notícias e dicas de filmes que valem o ingresso – e alertas sobre os que não valem nem uma pipoca
Continua após publicidade

Oscar lança vídeo irônico com elenco de Barbie – e alfineta votantes

Produção com Jimmy Kimmel traz no elenco os indicados ao prêmio Ryan Gosling e America Ferrera em uma jornada da Barbielândia até o prêmio

Por Raquel Carneiro Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 13 fev 2024, 17h13 - Publicado em 13 fev 2024, 12h32

Todo ano, a Academia de Hollywood lança um vídeo engraçadinho para divulgar a cerimônia do Oscar. Desta vez, a propaganda em tom de piada aproveitou para fazer uma espécie de autocrítica, ou melhor, uma alfinetada nos votantes da premiação, que esnobaram a cineasta Greta Gerwig, de Barbie, na categoria de melhor direção.

Com a voz da atriz Helen Mirren na narração do vídeo (é ela também a narradora do filme Barbie), o apresentador da cerimônia Jimmy Kimmel aparece perdido na Barbielândia, precisando chegar ao Oscar. Ele recebe a ajuda da Barbie Estranha (a comediante Kate McKinnon), que lhe ensina o caminho ao prêmio. Para isso, ela usa um mapa com o qual faz piadinhas com os nomes dos filmes indicados. Quando chega ao destino, Kimmel tem uma crise de autoestima, momento no qual America Ferrera, indicada a melhor atriz coadjuvante pelo papel no filme da famosa boneca, aparece e adapta o discurso dado por ela na produção. Por fim, Ryan Gosling, hilário como Ken, surge em cena, admite que não vai ganhar o prêmio (ele está indicado entre os atores coadjuvantes), mas que tudo bem, já que Greta “já tem o Oscar no bolso”. Quando descobre que ela não está indicada, ele grita em desespero juntamente com Kimmel — em referência ao momento do filme em que as Barbies se desesperam quando a protagonista aparece com os pés retos. 

Apesar de ter sido indicado em oito categorias no Oscar, Barbie se tornou um exemplo de quão engessada é a Academia de Hollywood por esnobar a diretora do longa e a atriz protagonista, Margot Robbie, das respectivas categorias – até, então, dadas como certas. Entre os diretores, apenas uma mulher foi indicada, a francesa Justine Triet, por Anatomia de uma Queda. Levantaram-se então críticas ao fato de que nunca duas mulheres foram indicadas ao mesmo tempo na categoria — como se houvesse uma cota de apenas uma vaga para diretoras ali. Em contrapartida, este é o primeiro ano da premiação que três filmes dirigidos por mulheres disputam o principal prêmio da noite — além de Barbie e Anatomia, Vidas Passadas, de Celine Song, completa o trio.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.