Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Em Cartaz Por Raquel Carneiro Do cinema ao streaming, um blog com estreias, notícias e dicas de filmes que valem o ingresso – e alertas sobre os que não valem nem uma pipoca

Festival de Cannes retorna com a missão de unir prestígio e popularidade

Evento francês, onde circulam os grandes filmes-cabeça do ano, começa nesta terça com enxurrada de celebridades

Por Raquel Carneiro Atualizado em 16 Maio 2022, 17h40 - Publicado em 17 Maio 2022, 08h30

Sinônimo de glamour, o Festival de Cannes dará início à sua 75a edição na noite desta terça-feira, 17, com convidados no mínimo inusitados: uma horda de zumbis. O filme de abertura do evento será Coupez!, do cineasta Michel Hazanavicius (de O Artista), remake do japonês Mortos (2017), protagonizado pelos monstrengos que fazem sucesso no cinema e na TV. Na mesma noite, uma exibição especial de O Show de Truman vai honrar o filme americano que estampa o cartaz deste ano do festival. Já na quarta, 18, Tom Cruise promete desfilar pelo tapete vermelho da festa na premiére mundial de Top Gun: Maverick, novo filme do astro de ação. 

A reunião de elementos pop não é novidade ao festival, que, para além de ser um reduto de filmes autorais e produções-cabeça, é, também, um espaço de celebração do cinema – inclusive do tipo que é puro entretenimento. Este ano, contudo, o que era um detalhe colorido do evento se tornou uma necessidade. Abalado desde 2020 por causa da pandemia, que cancelou uma edição e minou a do ano seguinte, o Festival de Cannes, agora, volta à sua rotina normal — ou quase normal, não fosse por dois detalhes. 

O mais grave, claro, é a guerra entre os vizinhos europeus Rússia e Ucrânia. Em uma realidade tão dura e tão próxima, os franceses devem promover protestos para se mostrar conectados com o mundo longe do tapete vermelho. O festival vai exibir, ainda, o filme do cineasta ucraniano Mantas Kvedaravicius, morto aos 46 anos no combate contra a Rússia em Mariupol no mês passado.

Já a segunda pedra no sapato do evento é a velha implicância de Cannes com o streaming — que culminou com a Netflix fora de seu cardápio desde 2018. As plataformas que foram o respaldo dos estúdios enquanto as salas de cinema estavam fechadas explodiram em relevância nos últimos anos, mas continuarão esnobadas pelos franceses.

Para tapar o buraco da ausência da maior plataforma de streaming do mundo, Cannes vai abraçar Hollywood sem medo. Passarão pelo evento filmes com elencos estrelados, como Armageddon Time, com Anne Hathaway e Robert De Niro, e Elvis, cinebiografia do cantor assinada por Baz Luhrmann. O intuito é aliar relevância e popularidade para, assim, atestar também sua razão de ser

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)