Clique e assine a partir de 9,90/mês

Equipe que tirou foto de buraco negro anuncia novo projeto ambicioso

Quase 350 cientistas envolvidos pretendem filmar um buraco no meio da nossa galáxia em alta resolução

Por Sabrina Brito - 9 set 2019, 16h17

A equipe de mais de 350 cientistas que, no dia 10 de abril deste ano, publicou pela primeira vez uma foto de um buraco negro, revelou seu próximo projeto: um vídeo colorido em alta resolução de um buraco negro que fica no centro da Via Láctea.

Para isso, o time pretende lançar satélites que complementem a rede já existente de oito telescópios aos quais eles têm acesso. De acordo com os pesquisadores, o equipamento permitirá que eles gravem o buraco negro consumindo a matéria em volta de si.

Ver a movimentação desse corpo — que gira, assim como o planeta Terra — e seu efeito sobre o tempo e o espaço por eles distorcidos representaria um avanço inédito no campo da astronomia, de acordo com os cientistas.

A expectativa é de imagens bonitas e coloridas (após as captações, os cientistas utilizam dados coletados para supor e aplicar cada tonalidade). Conforme o buraco consome aquilo que o rodeia, o material se transforma em um gás superaquecido que muda de cor à medida que se aproxima do centro do corpo. O resultado seria a gravação desse momento de transformação e movimentação em torno do buraco negro.

Continua após a publicidade

Os pesquisadores pretendem colocar telescópios terrestres na Groenlândia, França e em países da África para ajudá-los na empreitada. Além disso, pediram recursos para financiar mais três satélites. A rede criada constituiria um super telescópio, capaz de registrar o corpo situado no centro da nossa galáxia em altíssima resolução.

Mais do que satisfazer nossa interminável curiosidade científica, o projeto pode testar as teorias de Albert Einstein de forma ainda mais precisa do que a fotografia do buraco negro do começo deste ano.

Publicidade