Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Sobe de cinco para nove casos suspeitos de coronavírus no Rio

Secretário estadual de Saúde, Edmar Santos, diz que ainda não há nenhum caso confirmado

Por Cássio Bruno Atualizado em 27 fev 2020, 20h11 - Publicado em 27 fev 2020, 18h33

Subiu de cinco para nove casos suspeitos de coronavírus no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada na tarde desta quinta-feira, 27, pelo governo do estado. Anteriormente, a investigação já ocorria na capital (em dois pacientes), Niterói (dois) e Nova Iguaçu (um). Agora, os novos registros são em Macaé (um), além de dois turistas que não tiveram as nacionalidades divulgadas e um outro com local de residência ainda em investigação (a Unimed Resende informou, em nota, sobre uma suspeita no município do Sul Fluminense ainda não confirmada pela Secretaria estadual de Saúde).

Segundo o secretário estadual de Saúde, Edmar Santos, não há motivos para pânico. Os resultados dos exames devem ser divulgados em até três dias. “Não há nenhum caso confirmado. Todos provavelmente darão negativos porque o vírus ainda não está circulando no país. Mas estamos fazendo os testes para tranquilizar a população. Com o caso (confirmado) de São Paulo, cria-se um certo nervosismo”, afirmou Edmar Santos a VEJA.

Entre os casos suspeitos, está o de uma mulher de 49 anos que deu entrada no Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, com sintomas de tosse, febre e coriza. De acordo com a prefeitura do município, a paciente foi classificada na categoria verde, de baixa complexidade conforme o protocolo do Ministério da Saúde. Ela foi encaminhada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Botafogo, na mesma cidade, e disse que esteve na Europa, com uma conexão em Milão, na Itália, onde 12 pessoas morreram e 374 casos foram registrados.

Na tarde desta quinta-feira, a prefeitura de Nova Iguaçu informou que uma equipe da Secretaria municipal de Saúde visitou, a família da paciente internada na UPA. Cada parente recebeu máscara e termômetro, além de serem orientados a lavar as mãos com frequência e  utilizar lenço descartável, entre outros cuidados com a higiene. De acordo com a prefeitura, ninguém foi diagnosticado com sintoma de gripe.

Na última quarta-feira, o Ministério da Saúde confirmou o primeiro caso de coronavírus do Brasil. Trata-se de um homem de 61 anos que esteve na Itália e foi para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Um exame realizado na unidade havia dado positivo para o vírus. A contraprova também deu resultado positivo. No Brasil, são pelo menos 20 casos suspeitos que estão sendo investigados. Além do Rio de Janeiro e São Paulo, há em Minas Gerais, Distrito Federal, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Espírito Santo.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)