Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

RJ: chuva mata 1 e deixa mais de 600 pessoas desalojadas

Situação é mais grave em Xerém, na Baixada Fluminense. Em Angra dos Reis, oito casas desabaram. Rios transbordaram em Petrópolis, na Região Serrana

As primeiras chuvas fortes de 2013 põem o estado do Rio de Janeiro em alerta na manhã desta quinta-feira. Os maiores estragos, no momento, são registrados na Baixada Fluminense, onde há confirmação da morte de um homem no distrito de Xerém, em Duque de Caxias. A hipótese mais provável para o problema, segundo a Defesa Civil do município, é uma cabeça d’água – quando chuvas acumuladas em um curto período elevam rapidamente o nível dos rios. O Rio Sarapuí teve o que, segundo moradores, é a maior enchente em 20 anos, alagando bairros inteiros, arrastando paredes, carros, postes e deixando cerca de 400 desalojados.

Também choveu forte na Região Serrana e em Angra dos Reis, onde oito casas foram destruídas por deslizamentos de terra. Ainda não há confirmação sobre vítimas nesses locais. A avaliação da defesa civil do estado é de que o sistema de sirenes, que alerta sobre a necessidade de abandonar casas em áreas de risco, funcionou bem durante a madrugada, evitando que moradores de bairros em encostas tivessem mortos e feridos.

Leia também:

‘Brasil nunca esteve tão preparado para chuvas’, diz ministro

Governo maquia orçamento de prevenção a desastres

Chuvas: por que o Brasil não consegue evitar essa tragédia

Em Xerém, os rios Capivari e Saracuruna transbordaram e ruas ficaram tomadas pelas águas desde o início da madrugada. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a vítima é um homem adulto ainda não identificado. Ele foi encontrado nos escombros de uma casa que desmoronou na madrugada. Os desalojados estão sendo levados para um abrigo na Praça da Mantiqueira, no centro de Xérem. Parte de uma ponte desabou e a água em muitas ruas chega à altura dos joelhos, mesmo após uma trégua da chuva, por volta das 8 horas.

As fortes chuvas começaram ainda na noite desta quarta-feira, deixando milhares de famílias em alerta. Em menos de 24 horas, choveu cerca de 212 mm em Xérem, volume acima da média para o curto período. O temporal foi causado por uma frente fria que chegou ao Rio nesta quarta-feira, fazendo com que as temperaturas no estado caíssem rapidamente. A situação se agravou pois a cidade vive um colapso na coleta de lixo após as eleições. O lixo espalhado nas calçadas contribuiu para os alagamentos.

Uma das preocupações em Duque de Caxias, nesta manhã, é com vazamentos de gás e o risco de explosões, pois há rede elétrica danificada, com cabos e postes no chão. Pela manhã, havia a hipótese de rompimento de uma represa, o que não foi confirmado pelos bombeiros.

Na capital, todas as regiões estão em estado de atenção, de acordo com o sistema Alerta Rio, que monitora os riscos de enchentes e escorregamentos de terra de acordo com o volume de chuva. Os transtornos, no momento, são o trânsito engarrafado em algumas vias de acesso e a baixa visibilidade, principalmente na zona norte.

Bombeiros de várias unidades estão no momento em Xerém, para garantir que não há mais feridos ou pessoas isoladas. Além do Rio Sarapuí, também transbordaram os rios Saracuruna, Inhomirim e Capivari. As cheias nessa época do ano são um problema histórico da Baixada Fluminense. As cidades da região foram construídas em áreas de lavoura, abaixo do nível do mar e sujeitas a inundações.

Angra dos Reis – No litoral sul do estado, a situação é mais grave em Angra dos Reis, onde as chuvas deixaram dezenas de mortos no réveillon de 2010. A prefeita Conceição Rabha (PT) informou que há 72 desabrigados. A prefeitura está removendo 86 pacientes do hospital de Praia Brava, devido a problemas causados pela chuva à unidade. As pessoas internadas estão sendo levadas para o hospital da Santa Casa, no centro de Angra dos Reis.

Nesta época do ano, em que as cidades de Angra e Paraty recebem milhares de turistas, uma das preocupações é com a situação das estradas. Ainda não há informações sobre problemas na BR-101, no trecho Rio-Santos. Mas a recomendação da prefeitura de Angra é para que os turistas não se desloquem enquanto o tempo estiver instável.

O balanço do Corpo de Bombeiros sobre os municípios atingidos pela chuva no estado é o seguinte:

Angra dos Reis

8 casas destruídas

32 desalojados

Mambucaba

172 desalojados

3 feridos

Mangaratiba

Rolamento de pedras na BR – 101 e na Estrada Junqueira.

Em Constância, um muro desabou e uma casa foi destruída.

A localidade de Conceição de Jacareí foi evacuada.

Duque de Caxias

Transbordamento dos rios Saracuruna, Inhomirim e Capivari.

Um homem morreu em Xerém.

Cerca de 400 desabrigados e desalojados

Petrópolis

Transbordamento dos rios Bingen e Piabanha.

Escorregamento em bairros como Independência, Siméria, São Sebastião.

Foram montados dois pontos de apoio e dois abrigos em Independência e Siméria.

Sirenes foram acionadas para remover moradores de áreas de risco.

Teresópolis

Transbordamento do rio Paquequer.

Total de 50 desalojados em: Vale da Revolta, Perpétuo, Rosário, Caxangá e Pimentel.

Sirenes acionadas para remover moradores de áreas de risco.

(Com Estadão Conteúdo)