Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Prédio de sete andares desaba em Fortaleza

Bombeiros não confirmam causa do desabamento

Um edifício residencial de sete andares desabou em Fortaleza, Ceará, na manhã desta terça-feira, 15. O prédio ficava na esquina da rua Tibúrcio Cavalcante com a Tomás Acioli, no bairro Dionísio Torrres. Ainda não há informação se o desabamento foi causado por falha estrutural.

O resgate conta com o apoio de cães farejadores e drones. Os bombeiros trabalham com cautela porque há risco de um novo colapso na estrutura do edifício. As equipes de resgate e as famílias se comunicam com algumas pessoas nos escombros por telefones celulares. Segundo a prefeitura da cidade, há equipes de psicólogos e assistentes sociais para apoio dos que aguardam notícias.

A estimativa dos bombeiros é de que há entre dez a quinze pessoas presas nos escombros. O edifício era aparentemente antigo. Imagens divulgadas pela TV Globo mostram as colunas de sustentação da garagem deterioradas. Veja como o prédio era antes do desabamento:

Imagem de Google Maps do edifício que desabou em Fortaleza

Imagem de Google Maps do edifício que desabou em Fortaleza (Google Maps/Reprodução)

O prefeito da capital cearense, Roberto Cládio, manifestou apoio aos familiares das vítimas do desabamento e prometeu que a sociedade terá uma “resposta clara a respeito das responsabilidades de pessoas envolvidas no acidente”. De acordo com o prefeito, os órgãos de fiscalização urbana não tinham nenhuma informação sobre obras em andamento no edifício.

A dona de um estabelecimento comercial que funciona a cerca de 100 metros do edifício afirmou que ouviu um barulho muito grande, “tipo uma explosão”. “Eu saí correndo quando vi a nuvem de poeira chegando até aqui, na loja. Saí na calçada e não vi quase nada, só algumas pessoas correndo em meio à nuvem de poeira”, afirmou a comerciante.

“Achamos que se tratava de uma batida de carro. Só que o barulho foi aumentando e aí veio a nuvem de poeira. Fechamos as portas e ficamos dentro da loja porque demoramos a entender o que tinha acontecido. Não dava para ver nada, só alguns destroços espalhados pela rua. Quando saímos na calçada, já tinha muita gente chorando. Um desespero”, relatou o recepcionista de uma Pet Shop que funciona na calçada do edifício.

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), afirmou pelas redes sociais que cancelou toda a agenda desta terça-feira e está “retornando imediatamente para Fortaleza para acompanhar a operação de resgate”. “Determinei o uso de toda a força operacional dos Bombeiros, Samu, Polícia Militar, Defesa Civil e todos os órgãos estaduais que possam auxiliar no socorro às vítimas”, afirmou.

A Câmara Municipal de Fortaleza encerrou a sessão ordinária desta terça em solidariedade às vítimas do desabamento. O presidente da Casa, Antônio Henrique (PDT), declarou que encerraria a sessão em “solidariedade e respeito, a fim de prestarmos nosso apoio e buscarmos mais informações sobre o fato”.

“Vamos acompanhar junto à prefeitura o trabalho dos bombeiros e forças da Defesa Civil que atuam no local”, disse o deputado federal Domingos Neto (PSD-CE) por meio do Twitter. O Fortaleza, um dos grandes clubes da capital, fez um post nas redes sociais afirmando que está “na torcida para um desfecho positivo”.

Pedido de reforma

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea-CE) afirma ter sido notificado de que o prédio residencial que desabou passaria por obras de manutenção. O presidente do órgão, Emanuel Maia Mota, afirmou que o profissional responsável pela obra registrou, junto ao conselho, a necessária Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) – documento que define os responsáveis técnicos pelo empreendimento de engenharia, arquitetura e agronomia.

Mota, no entanto, disse aguardar informações para confirmar se a obra chegou a ser iniciada. Se confirmado que a manutenção já tinha começado, o conselho instalará um processo para verificar a conduta do profissional responsável, que também pode vir a responder criminalmente pelo ocorrido.

“O que sabemos é que, recentemente, ocorreu manutenção nos elevadores e que há poucos dias foi registrada a ART de uma reforma, sem muitos detalhes sobre o que seria feito. Ou seja, tudo indica que aquele prédio estava passando por reformas”, disse Mota, destacando ainda ser cedo para apontar a causa do desmoronamento. Uma equipe técnica do Crea-CE se encontra no local do desastre, realizando uma avaliação inicial no perímetro do desabamento.

 

Confira alguns vídeos feitos após o desabamento:

(Com Estadão Conteúdo e Agência Brasil)