Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Polícia pede prisão de PM acusado de matar espanhola no Rio

O tenente Davi dos Santos Ribeiro foi preso em flagrante, acusado de matar Maria Esperanza Jiménez Ruiz, de 67 anos, na favela da Rocinha

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 24 out 2017, 13h55 - Publicado em 24 out 2017, 13h53

A Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio de Janeiro pediu, nesta terça-feira, a prisão preventiva do tenente da Polícia Militar Davi dos Santos Ribeiro. Ele foi preso em flagrante acusado de matar, com um tiro de fuzil, a turista espanhola Maria Esperanza Jiménez Ruiz, de 67 anos, na manhã da segunda-feira na favela da Rocinha, Zona Sul do Rio. Outro policial envolvido na ocorrência, um soldado, também foi detido, mas não é acusado de homicídio.

Maria Esperanza morreu com um tiro no pescoço, depois que o carro em que estava foi atingido. Os policiais alegaram que, ao passar na região do Largo do Boiadeiros, na Rocinha, o motorista do veículo não atendeu a uma ordem para parar e furou o bloqueio da PM.

O motorista, o italiano Carlo Zanineta, disse que não viu quando os PMs mandaram que parasse. Outros ocupantes do automóvel disseram o mesmo.

A espanhola, que foi baleada após fazer uma visita turística à favela, chegou morta ao Hospital Miguel Couto, no Leblon, também na Zona Sul carioca.

Os dois policiais militares prestaram depoimento na Delegacia de Homicídios entre 1h e 5h desta terça-feira. Ribeiro deixou a delegacia às 8h30 e seguiu escoltado para o Batalhão Especial Prisional (BEP), em Niterói, na Região Metropolitana do Rio.

Continua após a publicidade

Publicidade