Clique e assine a partir de 9,90/mês

Polícia investiga origem criminosa de fogo em Alter do Chão, no Pará

Incêndio em área de preservação chegou a ser controlado em um dos principais destinos turísticos do Pará, mas um novo foco foi identificado

Por Leonardo Lellis - Atualizado em 16 set 2019, 15h13 - Publicado em 16 set 2019, 09h11

A Polícia Civil do Pará investiga as causas de um incêndio de grandes proporções que atingiu uma área de preservação ambiental em Alter do Chão, em Santarém, um dos principais destinos turísticos do estado, na Floresta Amazônica. A suspeita é que o fogo, que começou no sábado 14, tenha origem criminosa.

A Secretaria do Meio Ambiente enviou uma equipe ao local para atuar, caso seja identificada alguma situação que configure crime ambiental. O inquérito foi aberto na Delegacia de Conflitos Agrários de Santarém.

O incêndio chegou a ser controlado no domingo, mas um novo foco foi identificado ao fim do dia em uma ilha próxima a Ponta de Pedras. O local é de mata fechada e de difícil acesso. Por estar perto do rio, o vento típico da região facilita que as chamas se espalhem. O clima seco também é considerado crítico.

De acordo com o governo do Pará, que pediu ajuda ao governo federal, 227 militares, soldados do Exército e brigadistas atuam na região. Militares que estavam de folga foram acionados para ajudar no trabalho de contenção do fogo.

No Twitter, o governador Hélder Barbalho (PMDB) disse ter falado com o ministro Onyx Lorenzoni, que prometeu acionar o Ministério da Defesa. Ele anunciou, nesta segunda-feira 16, que um avião do Exército levará mais quarenta bombeiros para a região.

De acordo com o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, tropas do Exército devem chegar hoje para reforçar o combate ao incêndio e o município aguarda a confirmação do Segundo Comando Militar da Amazônia do envio de uma aeronave, que está em Roraima, especializada no combate a esse tipo de incêndio.

Ao chegarmos no local do incêndio, nos deparamos com uma moradora com um pedaço de pau na mão que tentava desesperadamente apagar o fogo. Nos relatou que os filhos fizeram o seguinte pedido: ‘mãe vai lá apagar esse fogo, não deixe o fogo chegar na nossa casa’. Ela sabia que sozinha não ia conseguir, mas estava lá fazendo a parte dela”, relatou o prefeito em sua conta no Instagram.

Continua após a publicidade
Publicidade