Obra de passarela que caiu em SP está atrasada

Cronograma da Prefeitura de São Paulo previa execução completa do projeto em 2018

Por Mariana Zylberkan - Atualizado em 14 nov 2019, 20h41 - Publicado em 14 nov 2019, 20h25

O obra da nova ligação Pirituba-Lapa, da qual faz parte a passarela de serviços que caiu sobre a marginal Tietê interrompendo o trânsito na capital paulista, está atrasada. De acordo com cronograma da Prefeitura de São Paulo, a execução do projeto estava prevista para estar completa em 2018.

De acordo com documento da administração do prefeito Bruno Covas (PSDB), oficializado no ano passado a respeito do andamento das obras da prefeitura, o atraso é explicado pelas “variáveis não previstas inicialmente, tanto de soluções de projeto, quanto de autorizações e anuências”.

Segundo a gestão Covas, o prefeito, ao ser informado sobre o incidente com a passarela na Marginal, determinou que o secretário de Segurança Urbana, coronel José Roberto Rodrigues de Oliveira, responsável pela Defesa Civil, siga imediatamente para o local.

A obra foi contratada pela prefeitura em 2016, ainda na gestão de João Doria, pelo valor de 198 milhões de reais, e prevê também melhorias viárias na avenida Raimundo Pereira de Magalhães e passagem sob a linha 8-Diamante da CPTM (cruzamento da avenida Raimundo Pereira de Magalhães x rua Gago Coutinho). O consórcio executor das construções é formado pelas empreiteiras Constran e EIT Engenharia.

Publicidade

O colapso da estrutura deixou duas pessoas feridas, que foram resgatadas de um carro de passeio, mas não correm risco de morte, segundo o Corpo de Bombeiros.

Publicidade