Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jornalista Paulo Sant’Ana é velado na Arena do Grêmio

Ícone do jornalismo no Rio Grande do Sul morreu na noite de quarta-feira, aos 78 anos, vítima de insuficiência cardíaca

Paulo Sant’Ana, um dos jornalistas mais respeitados do Rio Grande do Sul e famoso torcedor do Grêmio, morreu na noite desta quarta-feira, em Porto Alegre, aos 78 anos, vítima de insuficiência respiratória e infecção generalizada. Sua morte causou enorme comoção no Estado. O corpo de Sant’Ana será velado na manhã desta quinta-feira na Arena do Grêmio e o  sepultamento será realizado de tarde, no Cemitério João XXIII, na capital gaúcha.

Assim que o Hospital Moinhos de Vento confirmou a morte do jornalista, por volta das 22h de quarta-feira, o Grêmio iniciou uma série de homenagens a seu torcedor ilustre nas redes sociais. “Reconhecido como um dos torcedores mais fervorosos do Grêmio, esteve presente em momentos históricos do Clube, como na conquista do primeiro título da Copa Libertadores da América e do Mundial, em 1983. Neste momento de dor, o Clube se solidariza com os seus familiares e amigos”, diz trecho do texto.

O rival Inter também divulgou uma respeitosa nota de pesar em seu site. “Figura marcante da crônica gaúcha, sempre demonstrou respeito ao Clube do Povo, alimentando uma rivalidade saudável no futebol do Rio Grande do Sul. Seus textos e comentários perspicazes, a sua personalidade forte e o humor inteligente farão falta na imprensa. O Internacional se solidariza com a família e os admiradores de Paulo Sant’Ana”, escreveu o Colorado.  O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, também lamentou a morte do jornalista no Twitter.

Francisco Paulo Sant’Ana nasceu no dia 15 de junho de 1939 em Porto Alegre. Antes de iniciar sua carreira no jornalismo, na década de 70, ele trabalhou como feirante, inspetor e delegado de polícia. Seu primeiro trabalho na TV foi como representante do Grêmio no programa esportivo Conversa de Arquibancada, da TV Piratini, retransmissora da TV Tupi no RS.

Ainda na década de 70, foi contratado pela Rádio Gaúcha e ganhou uma coluna esportiva no jornal Zero Hora. Se consagrou como colunista do Jornal do Almoço, na RBS TV, afiliada da TV Globo e, desde 1989, escreevia uma coluna diária sobre assuntos gerais no Zero Hora. Ele estava afastado das atividades desde 2015 por problemas de saúde. Paulo Sabt’Ana deixou mulher e três filhos.