Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

IML libera sete corpos de vítimas da barragem em Brumadinho

Justiça também determinou o bloqueio de mais 5 bilhões de reais da Vale para reparar os danos do rompimento da barragem na cidade mineira

Por Da Redação - Atualizado em 28 jan 2019, 11h50 - Publicado em 27 jan 2019, 13h13

O Instituto Médico Legal (IML) comunicou que sete corpos de vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho (MG) foram liberadores para as famílias. Até o momento, as autoridades computaram a morte de 37 pessoas, mas só oito foram identificadas.

Está previsto para acontecer na tarde deste domingo (27) o sepultamento da médica Marcelle Porto, de 35 anos, que foi a primeira vítima fatal confirmada. Ela trabalhava desde 2015 para a mineradora Vale, responsável pela barragem que se rompeu.

A Justiça mineira também informou que foram bloqueados mais 5 bilhões de reais das contas da Vale para reparar danos causados às pessoas na tragédia de Brumadinho. Outros 5 bilhões de reais já haviam sido bloqueados para garantir a contenção de danos ambientais na região.

A decisão foi proferida em Ação Cautelar Antecedente proposta pelo Ministério Público de Minas Gerais. A Justiça afirma em um comunicado que, “em caso de inexistência do valor (estipulado), devem ser declarados indisponíveis bens como automóveis e imóveis”.

Publicidade

De acordo com o balanço mais recente, há 256 desaparecidos e um número indeterminado de desabrigados em função da tragédia. Além do bloqueio de bens, a última medida judicial determina que a Vale deverá assumir a responsabilidade da assistência às vítimas e seus parentes, entre outros dispositivos.

A Vale também recebeu neste fim de semana uma multa do governo federal de 250 milhões de reais e outra do governo de Minas Gerais de 99 milhões de reais.

(Com Estadão Conteúdo e AFP)

 

Publicidade