Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Número de mortos em Brumadinho subiu para 37

Segundo o Corpo de Bombeiros, cerca de 24 000 pessoas foram afetadas de algum modo pelo rompimento da barragem.

Por Da Redação - Atualizado em 28 jan 2019, 11h51 - Publicado em 27 jan 2019, 09h42

O tenente-coronel Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, informou hoje, 27, há pouco, que o número oficial de mortos com o rompimento da barragem em Brumadinho (MG) subiu de 34 para 37 e que 192 pessoas foram resgatadas. Aihara disse ainda que dez corpos de funcionários da Vale foram encontrados dentro de um ônibus, que estava soterrado pela lama causada pelo rompimento da barragem. Segundo o Corpo de Bombeiros, cerca de 24 000 pessoas foram afetadas de algum modo pelo rompimento da barragem.

Em entrevista coletiva, Aihara reforçou o pedido para a evacuação da população da região de Brumadinho com urgência devido ao risco de rompimento da barragem número seis. “O risco iminente de rompimento realmente existe”, disse Aihara.

“As pessoas devem abandonar as suas casas e devem se dirigir aos pontos de encontro”, acrescentou. Os pontos de encontro para quem deve abandonar suas casas em Brumadinho são: Igreja Matriz, Morro do Querosene e a delegacia de polícia. Segundo ele, os trabalhos de busca foram interrompidos devido ao risco de rompimento da barragem número seis.

As vítimas fatais que já foram identificadas são essas: Marcelle Porto Cangussu, Jonatas Lima Nascimento, Carlos Roberto Deusdedit, Leonardo Alves Diniz, Fabrício Henriques da Silva, Robson Máximo Gonçalves, Eliandro Batista de Passos, Willian Jorge Felizardo Alves, Djener Paulo Las-Casas Melo, Wellington Campos Rodrigues, Maurício Lauro de Lemos, Adriano Caldeira do Amaral, Flaviano Fialho, Daniel Muniz Veloso, Moisés Moreira Sales e Francis Marques da Silva.

Publicidade

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade