Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

‘Droga acabou com minha vida’, diz irmão de brasileiro morto no México

Fernando Silva afirma que não viu o irmão cair de um prédio porque os dois estavam 'fugindo muito daquilo que a gente achava que era real'

Por Da Redação 18 jan 2015, 15h05

*Atualizado às 21h25

O irmão de Dealberto Silva, brasileiro morto no México no dia 11 de janeiro, falou ao Fantástico, da TV Globo, sobre o caso. A entrevista foi ao ar na noite deste domingo. Fernando Silva afirmou que não viu o irmão cair de um prédio porque os dois estavam “fugindo muito daquilo que a gente achava que era real”, referindo-se aos efeitos causados pelo consumo de drogas, como o ecstasy. “A queda do meu irmão foi, com certeza, acidental”, disse durante a entrevista. “Eu consumi aquilo que acreditava ser ecstasy. Senti muito medo, pavor. As pessoas estavam me olhando. Tudo o que a gente estava vivendo não era real, era paranoia”. E resume: “A droga acabou com a minha vida, tirou a pessoa que eu mais amava no mundo, que era meu irmão”.

Fernando contou que correu com o irmão por um condomínio, pulando cercas e obstáculos, até a exaustão. Ainda dentro do condomínio, eles se separaram. Dealberto subiu para o telhado do prédio, enquanto Fernando ficou no térreo.

Ao ouvir barulho de sirenes, ele afirma que pensou ter acontecido algo com o irmão, mas, ainda sob efeito da droga, fugiu. “Eu achava que ainda estava sendo perseguido.”

Fernando fez contato com a família em Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, pela primeira vez na última segunda feira, dia 12, desde a morte do irmão. Até o telefonema, ele estava desaparecido. Durante a entrevista, ele não revelou detalhes do que fez após a morte do irmão. “Foram os piores dias de toda a minha vida”.

Segundo um parente que não quis se identificar, Fernando demonstrou confusão mental nas ligações, disse que precisava de dinheiro para ir ao próprio velório e que os pais tinham morrido. A queda da sacada de um apartamento que causou a morte de Dealberto por traumatismo craniano foi acidental, de acordo com as autoridades mexicanas.

Leia também:

Empresário morto no México usou drogas, diz russa ao site de VEJA ​

Irmão de brasileiro morto no México fez contato com família

Continua após a publicidade
Publicidade