Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Combate à violência exige ‘capacidade de amar’, diz Cármen

Presidente do STF participou nesta quarta-feira do lançamento da Campanha da Fraternidade 2018, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, afirmou nesta quarta-feira que há “uma imperiosa necessidade de se superar o quadro de violência” vivido atualmente no Brasil. Durante o lançamento da Campanha da Fraternidade 2018 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cujo tema é “Fraternidade e Superação da Violência”, Cármen declarou ainda que a situação exige “solidariedade, fraternidade e a capacidade de amar e perdoar”.

“Eu fico me perguntando em que sociedade sonhamos quando a desconfiança e a violência contra o outro é o que se prega, e o que pelo menos se põe como a semente que pode florescer fazendo do outro não seu irmão, mas alguém que é preciso combater”, refletiu a ministra.

Para a ministra, a missão do Judiciário é a aplicação do direito para buscar a solução de conflitos “de todas as formas contra todas as pessoas”. Ela se pronunciou depois de o secretário executivo da Comissão Brasileira de Justiça de Paz da CNBB, Carlos Moura, destacar que a comunidade negra é a maior vítima de violência do Brasil. “Há necessidade de encararmos, todos nós, emanados na perspectiva de superação do preconceito, da discriminação, que vitimiza essa comunidade”, disse ela.

A presidente do STF afirmou também que o Poder Judiciário tem “atuado de forma digna e de forma correta” para tentar superar esses problemas de maneira democrática.

Veja também

No lançamento da campanha também falaram o presidente da CNBB, cardeal Sergio da Rocha, o secretário-geral da conferência dos bispos, dom Leonardo Steiner, e o deputado federal Alessandro Molon (Rede-RJ), coordenador da Frente de Prevenção à Violência e Redução dos Homicídios na Câmara dos Deputados.

Durante os discursos, foram citados os números de violência do Brasil e os recentes episódios que marcaram o Carnaval, sobretudo no Rio de Janeiro, que registrou diversos saques, arrastões e roubos.

‘Candidatos que promovem mais violência’

Após o evento, o cardeal Sergio da Rocha comentou as eleições de outubro e disse que a Igreja quer candidatos comprometidos com justiça social e paz, e “não aqueles que promovam ainda mais a violência”. A manifestação ocorreu após Rocha ser questionado sobre como a Igreja vai se posicionar diante de presidenciáveis que defendem a liberação de porte de armas em alguns casos, por exemplo, como o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

“A Igreja está orientando os próprios eleitores, não substituindo suas consciências, mas ajudando a formá-las”, disse o presidente da CNBB a jornalistas.

Os representantes da entidade e o deputado Alessandro Molon ainda destacaram que é inadmissível que o poder público tente resolver os problemas da violência com atitudes “falsas e simplistas”. A campanha da CNBB reforça a importância do Estatuto do Desarmamento, que pode ser flexibilizado por projetos em tramitação no Congresso. “É um grande equívoco achar que superamos a violência recorrendo a mais violência”, afirmou Sergio da Rocha.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ataíde Jorge de Oliveira

    É$TADO
    £A.ï.K@
    :É uma COI$A; Outra coisa NãO é a mesma COISA 😮

    Curtir

  2. sinesio gimene

    historinha pra boi dormir , a religiao e a politica andam juntas, mandam o povo amar e os politicos bandidos fazem a festa querem um povinho cheio de amor e paz pra eles os politicos bandidos fazerem o que querem, porque os bispos nao mandam o povo se manifestar na paz contra a politica, porque será ? lógico eles estao juntos, eles querem um povo cordeirinho facil de domar, acorda Brasil, se a religiao quisesse fazer alguma coisa boa , mandava o povo pra rua protestar de forma pacifica contra os politicos bandidos nao fazem porque , porque estao comunados tambem , sao bandidos usando a politica a seu favor

    Curtir

  3. sinesio gimene

    a religiao de safados , querem o povo desarmados, pra facilitar a vida dos bandidos das ruas, os bandidos das ruas sabem que o povo nao anda armado , podem roubar a vontade que o povo esta indefeso , os canalhas aparecem como os donos da verdade e o povo mediocre acredita nestes tralhas, que estao do lado do estado de politicos bandidos, tem que se rebelar contra os falsos argumentos da religiao contraladora, eles sao tralhas a favor do poder sobre o povo idiota

    Curtir

  4. sinesio gimene

    os ministros do stf estao delirando, agem a fovor de politicos bandidos, fazendo injustiça ao povo, liberando politicos bandidos no momento que deveriam ser firmes e coerente em favor da justiça social, e depois diante da mesma camara que os filma agindo como bandidos do stf , aparecem falando outra coisa que nao foi o que eles praticaram durante a sessao de injustiça , um STF que provoca a revolta popular , a divisao entre o povo e os poderosos vem falar de amor e perdao, perdao pra quem? pros politicos bandidos? sai fora stf de bandidos, divisores do povo, assassinos de milhoes através da liberdade de politicos bandidos que roubam trilhoes da saúde, escolas, voces sao sim os reponsáveis por tantoas politicos bandidos, levando mutidoes de 13 milhoes a desgraça

    Curtir

  5. caroline de oliveira mesquita

    Diante do caos que se instalou no Brasil, principalmente no RJ é uma pena perceber que temos uma ministra tão alienad4

    Curtir

  6. news da hora

    Tem é que prender Lula e seus Petralhas , que são frutos do roubar e não deixar roubar .

    Curtir

  7. news da hora

    E essa tema foi escolhido dentro da CNBB , quando apoiava Lula e os Petralhas .

    Curtir

  8. news da hora

    Os corruptos quando desviam bilhões , matam milhares de inocentes .

    Curtir