Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
#VirouViral Por Coluna Como surgem e se espalham os assuntos mais comentados da internet

O contato com animais pode ajudar crianças com autismo, como exibiu uma foto que se espalhou?

O post de uma mãe sobre a reação do seu filho autista ao ganhar um cachorro viralizou na semana passada. Kainoa Niehaus, de 5 anos, que não gosta de ser tocado (um dos sintomas possíveis da síndrome), não se conteve e abraçou o novo amigo, Tornado, quando o encontrou. Emocionada com a atitude inédita do […]

Por Talissa Monteiro Atualizado em 30 jul 2020, 21h27 - Publicado em 28 out 2016, 18h20

O post de uma mãe sobre a reação do seu filho autista ao ganhar um cachorro viralizou na semana passada. Kainoa Niehaus, de 5 anos, que não gosta de ser tocado (um dos sintomas possíveis da síndrome), não se conteve e abraçou o novo amigo, Tornado, quando o encontrou. Emocionada com a atitude inédita do filho, a americana Shanna Niehaus contou como o momento foi importante para a família em um post no Facebook.

O relato foi compartilhado na página da organização “4 Paws for Ability”, especializada em treinar cachorros para ajudar no tratamento de crianças com deficiências diversas. No texto, Shanna explicou que se emocionou pois, pela primeira vez, Kainoa permitiu um contato físico mais profundo com outro ser vivo: “A foto mostra a reação de uma mãe ao ver seu filho — que ela não pode abraçar, dar banho, vestir ou tocar — deitar em seu novo cachorro por vontade própria, criando uma indescritível e poderosa ligação”.

https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2F4pawsforability%2Fposts%2F1359603430719559%3A0&width=500

A família Niehaus mora no Japão, mas voou até Ohio, nos Estados Unidos, para buscar Tornado. A agência “4 Paws for Ability” afirma que não visa o lucro. Mas o serviço não é barato. Para cobrir os custos do treinamento do animal que atende às necessidades específicas da criança, a agência paga parte do valor, mas a família deve ainda arcar com uma taxa de 17.000 dólares. Ao #VirouViral, Shanna contou um pouco da experiência:

Como foi o processo para adotar o Tornado? O vídeo mostrou o auge desse nosso projeto. Tivemos de trabalhar duro e ter paciência para que Kainoa pudesse ter o cachorro. Dois anos (o tempo que levou entre requisitar e conseguir Tornado) é muito tempo para uma criança de 5 anos segurar sua ansiedade.

Continua após a publicidade

O que você sentiu quando viu seu filho abraçá-lo? Não dá para descrever com palavras. Mas eu estava tão emocionada que precisei segurar minhas emoções. Tive medo de que se eu fizesse algum barulho poderia assustar meu filho e estragar aquele momento tão especial.

E como está sendo para o Kainoa ter um cachorro em casa? Todos os dias, fico sem ar, de tanta emoção, ao ver o crescimento e a mudança na vida do meu filho por ter o Tornado. O sentimento é indescritível. Nada que eu diga fará jus ao que a minha família está sentindo.

LEIA TAMBÉM
Menino baiano pede dentes novos como presente de Dia das Crianças. Será que ele ganhou?
Um bebê realmente pode andar de skate, como no vídeo que se espalhou?

E a relação entre o pet e o menino autista é realmente saudável?

Explicou, a este blog, a pediatra Renata Waksman, da Sociedade Brasileira de Pediatria: “A convivência pode mesmo melhorar as habilidades sociais e motoras da criança com autismo. Ao conviver com um cachorro, o autista fica mais calmo. Levar o animal para passear é uma ótima desculpa, ainda, para sair de casa, ir pra lugares abertos e viver situações que, normalmente, deixariam a criança insegura. Isso ajuda também a construir novas pontes emocionais, tanto com a própria família quanto com novos amigos e colegas”. 

Continua após a publicidade

Publicidade