Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Dias Toffoli na capa da VEJA

Se e enquanto restar alguma dúvida sobre as relações do ministro com a empreiteira, ele tem de se declarar impedido de votar nos casos relativos ao petrolão

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 30 jul 2020, 22h04 - Publicado em 19 ago 2016, 21h10

Dias ToffolA VEJA, que começa a circular daqui a pouco, traz esta capa.

Não é a primeira vez que se fala sobre a proximidade entre Dias Toffoli, ministro do Supremo, e Léo Pinheiro, da OAS. Não li a reportagem. Consta que o ministro teria tido uma propriedade reformada pela empreiteira. Isso teria ido parar na delação premiada de Pinheiro.

O que dizer?

Bem, torcer para que não seja assim. Isso não é bom para o Supremo — seja na Segunda Turma, seja no Pleno.

Acho uma pena. Com discordâncias episódicas, avalio que Toffoli vem votando com rigor técnico. Esteve muito longe de integrar a turma que tentou criar obstáculos ao andamento do processo. O PT mais sectário vai ficar feliz. No partido, o ministro tem fama de “traidor”.

Se a hipótese de crime se confirmar, é evidente que ele não pode continuar no Supremo. Também para os ministros da corte máxima existem as figuras da renúncia e do impeachment.

Aguardemos para ler.

Continua após a publicidade
Publicidade