Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Bahia Por VEJA Correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens baianos.

Alckmin não pode ser condenado por erros de aliados, diz ACM Neto 

Prefeito de Salvador disse em evento que todo homem público está suscetível a ser investigado e que todos os partidos têm problemas éticos

Por Rodrigo Daniel Silva Atualizado em 23 ago 2018, 17h15 - Publicado em 23 ago 2018, 16h12

Um dos coordenadores da campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) e presidente nacional do DEM, ACM Neto afirmou nesta quinta-feira (23) que o tucano não pode ser responsabilizado pelos erros de seus aliados. O prefeito de Salvador disse ainda que todo homem público está suscetível a ser investigado e que todos os partidos têm problemas éticos.

“No caso do DEM, já tivemos problemas com quadros nossos e não tivemos medo de expulsar. A lei pode e deve ser aplicada a todos. Nenhum partido tem o domínio exclusivo da ética. No caso de Alckmin, ele não pode ser condenado e jamais pode ser prejudicado por erros que outros membros do PSDB eventualmente tenham cometido”, afirmou ACM Neto, durante o 3º Simpósio Nacional de Combate à Corrupção, que acontece na capital baiana.

  • Ex-secretário de Alckmin, Laurence Casagrande Lourenço foi denunciado pelo Ministério Público Federal sob acusação de fraude a licitação, associação criminosa e falsidade ideológica. Ele é suspeito de favorecer empreiteiras na obra do trecho norte do Rodoanel. Além dele, o ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, também foi denunciado. Ele é acusado de ser o operador do PSDB. Ambos negam as acusações.

    ACM Neto reiterou que tem “absoluta confiança” que Alckmin vai chegar ao segundo turno. “Tenho participado das conversas e articulações, mas obviamente é uma decisão do povo brasileiro. O que interessa é fazermos uma campanha propositiva mostrando o diferencial de Geraldo, que é a experiência. É um sujeito que sabe governar”, afirmou.

    Continua após a publicidade
    Publicidade