Blogs e Colunistas

17/06/2013

às 15:46 \ Política & Cia

PROTESTOS: Manifestação de hoje no Largo da Batata, em São Paulo, põe à prova capacidade de convivência civilizada em uma democracia

Amigas e amigos do blog, sei que exagerei em comentários anteriores sobre as manifestações contra o aumento das passagens de ônibus em São Paulo, qualificando, genericamente, os manifestantes como “baderneiros” e o movimento como “baderna”.

Continuo achando, porém, que há um grande número de baderneiros em meio a outras pessoas que querem exercer seu legítimo direito de protestar nas ruas, garantido — obedecidos certos limites — pela Constituição.

Direito esse que, evidentemente, apoio e defendo, como sempre fiz.

Mas continuo achando que, graças a esses baderneiros, um movimento que é aceitável e saudável numa democracia transformou-se, em diversas situações, em pura baderna, com depredações de ônibus e estação de metrô e outros tipos de vandalismo contra vitrines de lojas, de outros tipos de comércio e de veículos.

Sei, por outro lado, que a palavra “baderna” tem conotações ideológicas, devidamente apostas justamente pelos que são partidários da desordem, e que políticos e homens públicos em geral, com poucas exceções, hesitam em usá-la, mesmo quando dela se trata.

Eu, porém, gosto de chamar as coisas pelo nome que têm, sempre que for o caso.

E temo que os responsáveis pelas manifestações incorram, uma vez mais, nisso de que trato: baderna.

Temo igualmente que a polícia não saiba se comportar como exige uma democracia.

Hoje, por exemplo, às 17 horas, haverá mais uma manifestação que se pretende grande em São Paulo, no Largo da Batata — espaço do bairro de Pinheiros largamente deteriorado e que passa por uma grande transformação, impulsionada pela construção de uma estação do metrô que já atraiu a iniciativa privada para uma série de empreendimentos em curso.

O governo estadual, responsável pela Polícia Militar e alvo de uma torrente de críticas pela ação violenta da polícia nas manifestações de quinta-feira, mudou sua postura de dureza e enfrentamento, afirma que não utilizará a tropa de choque da PM no Largo da Batata e nem recursos de repressão a violência pública, como balas de borracha e spray de pimenta, além de ter chamado para dialogar os dirigentes do chamado Movimento Passe Livre (MPL), que iniciou os movimentos contra o aumento das passagens.

O tal MPL, porém, adota uma postura de radicalização, recusando-se, entre outras coisas, a negociar com as autoridades o trajeto da passeata, para que a PM possa garantir a segurança da população e a dos próprios manifestantes. Também não estão abrindo mão de terminar os protestos na Avenida Paulista — via crucial para a cidade porque, entre outras características, é corredor de acesso a 19 (dezenove) hospitais, e sua interrupção constitui problema grave, de consequências graves.

Será que adiantou o governo querer dialogar?

Pois vejam o que disse hoje à Folha On-Line uma certa Nina Capello, considerada uma das líderes do Movimento Passe Livre, a certa altura da entrevista que concedeu:

– Vai ser o maior protesto contra o aumento da tarifa de ônibus. A gente continua na rua até o prefeito [Fernando Haddad, do PT] e o governador [Geraldo Alckmin, do PSDB] decidirem revogar o aumento do ônibus e dos trens. Caso contrário, a gente vai continuar colocando as nossas forças nas ruas, ocupando ruas importantes e parando a cidade.

Vejam bem, amigas e amigos do blog: “parando a cidade”.

Eles prometem PARAR a  maior cidade do país como se fosse a coisa mais natural do mundo.

Como se não fosse algo contrário ao direito constitucional de ir e vir de milhões de paulistanos.

Como se não fosse algo clara e escancaradamente ilegal.

Como se bloquear vias e, mais ainda, “parar” uma cidade fosse algo que qualquer grupo de pessoas pudessem fazer a seu bel prazer.

Como se as demais pessoas que protestam, mas não fazem parte de movimento algum, tivessem sido consultadas se topam ou não embarcar em uma ação ilegal.

Como se as autoridades — e, no caso, a Polícia Militar — não fossem obrigadas a intervir para garantir esse direito.

Estão querendo provocar confronto.

A Polícia Militar certamente exagerou na repressão de quinta-feira, ultrapassou em vários casos os limites civilizados de atuação de uma força do Estado e os responsáveis pelos atos violentos devem ser identificados e punidos.

Mas, evidentemente, nem o governador Geraldo Alckmin nem qualquer outro político que estivesse ocupando seu cargo pode deixar o barco correr em relação a grupos que pretendem “parar a cidade”.

Enquanto isso, com as críticas jorrando em cima do governador, o prefeito Fernando Haddad, do PT, cuja decisão — correta — de aumentar os preços das passagens de ônibus para fazer frente à inflação de responsabilidade do governo Dilma, assiste a tudo de camarote, como se não fosse com ele.

Faz uma declaraçãozinha aqui, outra ali — e pronto.

E o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que por acaso é pré-candidato ao lugar de Alckmin nas eleições do ano que vem, usa a TV para aparecer em meio à crise — ele, que na verdade nada tem a ver com o assunto, de âmbito municipal e estadual. Fatura eleitoralmente de um episódio grave.

O que ocorrer hoje no Largo da Batata, na maior cidade do Brasil, vai ser uma prova de nossa capacidade — ou incapacidade — de convivência civilizada em uma democracia.

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado

205 Comentários

  • Salles Marcondes

    -

    6/7/2013 às 14:20

    Não posso publicar acusações graves sem provas, caro Salles. Sei que você compreende.
    Abraço

  • Alexandre

    -

    5/7/2013 às 23:26

    o povo ainda não se manifestou cobrando providências ao Presidente do Tribunal de Justiça do Estado; que haja mais celeridade, agilidade nas tramitações dos processos, cumprindo o art. 5 º, inciso LXXVIII da Constituição da República Federativa do Brasil, que trata da RAZOABILIDADE DA DURAÇÃO DO PROCESSO. É inadmissível, um processo durar anos sem sentença por mais complexo que seja, bem como, durar anos um processo simples de ser resolvido. O HORÁRIO PARA FUNCIONAMENTO DO FÓRUM DEVE SER de 09:00 HS às 18:00 hs. Não pode continuar como está. É brincar com o povo, ainda mais, os juízes e desembargadores ganhando entre R$ 21.000,00 (vinte e um mil reais) e R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais), pago pelo povo. Isso se aplica também aos Presidentes dos Tribunais Regionais Federais). Vamos fazer passeata começando enfrente ao Tribunal Regional Federal, cada um em sua cidade, às 15:00 hs e terminando enfrente ao Tribunal de Justiça do Estado, dentro da ordem, respeitando a lei, sem vandalismo, exercendo nossa cidadania pacificamente. Passeata dia 01 de agosto de 2013. Organizem-se. Divulgue essa convocação e enviem mensagem a todos. Vamos parar o Brasil por uma causa justa. SEM JUSTIÇA, NÃO HÁ DEMOCRACIA. VAMOS COBRAR DESSE PODER JUDICIÁRIO intocável, que vive em um casulo de ferro, e que estão resguardados na VITALICIEDADE e GARANTIAS nos termos do art. 95, inciso I da Constituição Federal, a pararem de serem morosos nos processos judiciais e tomarem vergonha. Vamos para as ruas; vamos cobrar resposta ao Poder Judiciário dessa lentidão, vamos cobrar a verdadeira JUSTIÇA SOCIAL e cobrar também, que o fórum abra das 09:00 hs às 18:00 hs. A OAB espera essa providência há anos e nunca foi ouvida e agora chega !!!! O gigante acordou, que somos nós o POVO que aprendemos a exercer nossa cidadania dentro do Estado Democrático de Direito.

  • alfredo chaves

    -

    22/6/2013 às 11:07

    você concorda? Quanto custa um deputado Salário de quase R$ 30 mil por mês. Ajuda de custo para mudar para Brasília. Verba de aproximadamente R$ 30 mil mensais para pagar alimentação, pesquisas, aluguéis, combustível, consultoria. Até 25 funcionários, um gabinete, apartamento funcional com telefone liberado. Tudo isso e muito mais são os direitos e benefícios que cada um dos 513 deputados federais no Brasil tem à sua disposição para desempenhar suas atividades, como apresentar projetos, relatar outras propostas, votar, aprovar, rejeitar, fiscalizar o governo, apoiar o governo, representar a sociedade, ou a parte dela que o elegeu. Como mostrou ontem (25) o Congresso em Foco, um deputado e seu gabinete custavam R$ 122 mil por mês até o início de 2011, quando o salário tinha acabado de subir para R$ 26.723,13. Mas, agora, com medidas tomadas no final da gestão de Marco Maia (PT-RS) e outras em preparação na administração de Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), um gabinete deverá passar a custar R$ 142 mil por mês. Veja aqui a relação dos benefícios de um deputado

    O salário dos deputados deve subir para R$ 28 mil por mês, graças à PEC da Bondade, negociada pelos parlamentares com o aval de Henrique Eduardo Alves. O “cotão”, a verba multiuso que paga da refeição à passagem de avião, vai passar de R$ 29 mil por mês em média, para R$ 33 mil.
    E o auxílio-moradia vai de R$ 3 mil para R$ 3,8 mil por mês. Quem não recebe o benefício geralmente mora em um dos 432 apartamentos funcionais que ficam na Asa Sul e na Asa Norte, áreas nobres de Brasília. O presidente da Câmara tem direito a residência oficial no Lago Sul. Com os aumentos em curso, a conta final para o contribuinte será de quase R$ 1 bilhão por ano. Eu não concordo, temos que dá um basta nisso, eles são nossos empregados, não nossos patrões. Temos que diminuir esses salários milionários, com esse dinheiro podemos melhorar a saúde, a educação. Eu não quero mais sustentar, amante de debutado, governador, prefeito ou senador. Com meu suor , eles estão vivendo como reis, temos que mudar, nem que tenhamos que morrer por isso. Eu não quero mais ser escravo. Precisamos lutar e juntos mudar tudo isso. Alfredo Chaves[...]

  • Carlos Roberto Alagoano

    -

    19/6/2013 às 19:41

    Um absurdo o que aconteceu com a nossa presidente Dilma. os vagabundos e pilantras vaiáram ela sem motivo nem um.
    vou mostrar pra esses babacas que nas proximas eleições ela já está eleita.
    vou voltar aqui e esfregar na cara de vcs babacas. me aguardem aq

  • Nostradamus

    -

    19/6/2013 às 17:59

    Prezado Ricardo, a uva está para o suco de uva, assim como o senhor está para o Caio Ribeiro (rede globo)!

    Meu protesto é contra as obviedades compiladas pelo senhor.

    Está devidamente publicado seu protesto, originalíssimo “Nostradamus”.

  • Wallax

    -

    19/6/2013 às 15:55

    Vamos ver se voce concorda comigo: muitos, nem todos, vao as ruas protestar. Alguns, mal educados, idiotas, acham de depredar, queimar, roubar, pixar etc., etc., etc.

    No final, se tudo der certo e houver mudancas drasticas na forma de governo deste país, todos, inclusive os que estavam contra ao movimento, serao beneficiados. “Tô” certo?

  • EdsonReis Sena

    -

    19/6/2013 às 14:30

    O que é a PEC 37

  • Thiago Padilha

    -

    19/6/2013 às 14:05

    Manifestaçao e certo mas para isso presisamos ter conciencia do que fazemos e ate mesmo falamos,mas quando e mesmo que esses manifstantes errados vao perceber que estao sujando nossa casa quando eles vao perceber que somos todos irmaos ate mesmo quem esta do lado errado um sabio homem sempre dizia para que lutemos juntos com palavras palavras fortes e formidaveis como herois,herois que desafiarao muitos e se colocaram como todos e nao presisaram de violencia e nen de poderres para isso so presisaram de um microfone para que todos escutem com atençao,Mandela nuca quis violencia em suas açoes mesmo ele sendo o lider da manifestaçoe ele e um otimo exenplo de heroi e um exenplo para seguirmos.

  • cris

    -

    19/6/2013 às 13:50

    estou de apoio isso indica que o povo acordou,que não é bobo,esta defendendo nossos direitos a qual estão nos tirando,deixando o povo acuado,despido mas agora o nosso grito vai ser ouvido e respeitado,porque achavam que estavamos mortos,mas acordamos,vamos a luta essa é a nossa vez de gritar liberdade não somos escravos,liberdade vamos ganhar.estamos vivos,BOA SORTE PRA NOS OBRIGADO

  • FERNANDO CHAVES

    -

    19/6/2013 às 10:47

    Caro Fernando, entendo sua indignação, mas comentários neste espaço somente com letras minúsculas, combinado? Abraços

  • Ana Paula Petcov

    -

    19/6/2013 às 10:00

    Sr.Ricardo

    Concordo com algumas de suas ideias.Todavia, discordo de outras, e acredito que devamos abrir discuções sobre ideias e não sobre as pessoas.Gostaria de registrar minha opinião, acrescentando ao seu texto, que os ocorridos saques, depredações, devem-se ao fato de não haver um objetivo claro e comum, tão pouco lideranças.Sou uma ex cara pintada, e fico indignada com a violência, por acreditar que revoluções se fazem sem a violência, e também não acredito em comparações feitas com revoluções violentas, eram tempos sociopolíticos diferentes.Nem a própria imprensa é coerente, acusa a polícia de ser truculenta, e convenhamos foi, inversamente mostra nos telejornais a falta desta nos últimos acontecimentos.Lamento que a democracia seja “manchada” por estas manifestações violentas, discordo e confesso Sr. Ricardo não gostar do termo “baderneiro”, justamente pela conotação ideológica mencionada.Enfim, esta é apenas mais uma opiniaõ, e poder se expressar depois de ter vivido numa ditadura militar, é democracia.Obrigado.

  • Ronaldo Barra

    -

    18/6/2013 às 23:13

    Tá na hora de lideranças políticas com credibilidade(são poucas no Brasil) se reunirem com a Dilma Roussef e mostrarem a pauta de reivindicações que ela teima em não entender: não aumentar as tarifas de transporte público, retirar a PEC 37 do congresso, aceitar os novos partidos com as mesmas regras dos outros,aumentar no orçamento os percentuais para educação e saúde, saída de Renan da presidência do Senado,acabar com a Copa do Mundo em 2014,auditoria nos gastos da Copa da Confederação,prisão imediata dos mensaleiros, abertura de inquérito conta o Lula e a Rosimary, diminuição dos ministérios para no máximo 10. Isto deveria ser anunciado em cadeia nacional para acalmar os ânimos e dar um novo direcionamento ao Brasil.

  • Marcelo Alexandre

    -

    18/6/2013 às 21:47

    Demorou muito tempo, para voces poderem acordarem. A ultima vez, em que eu vi que voces fizeram a mesma coisa, foi no imptiman de Color de Melo, tal como, CARA PINTADA, sou solidario com voces, ao mesmo tempo, voces precisam aprender a ter um lider. Este lider sou eu pra divulgar tudo aquilo que voces jovens lindos e maravilhosos a unica esperanca que sao voces me apoiarem. Concordo com tudo o que voces estao fazendo, exceto algumas celulas sem compromisso e sem informacao que deixa o nosso estado de consciencia instavel, porem e necessario galgar as melhores posicoes possiveis de frente e recuperar a confianca do nosso movimento. Estou disposto a entregar para o nosso movimento uma consicencia sadia, nobre, e intectualizada porque somos todos inteligentes. Precisamos movimentarmos impulsivamente no interesse coletivo no prol da intensidade coletiva nacional. Ha decadas, estamos precisando que vigore um interesse nacionalista de um bem comum de todos nos. Chegou a hora. MEU BRASIL BRASILEIRO HOJE E AGORA.

  • Adriano moraes

    -

    18/6/2013 às 20:39

    Quando nos o povao pressisar de segurança,hospitaes,escolas educaçao de qualidade principalmente segurança nas ruas pra chegar vivo em casa . (Que tal ir todos para os belos estadios da copa) que tera muito beneficio para nos kkkkkk

  • Jose J.carvalho Neto

    -

    18/6/2013 às 20:24

    Eu venho escrevendo a mais de um ano sobre os gastos que o governo vem fazendo para copa do mundo nos meios de comunicação até para a presidenta, mas sem sucesso e nenhum retorno, eu vejo o dinheiro publico iindo para os clubes que nao
    Vão pagar e vejo construção de estádios que após a copa vão ficar sem usos, e vejo
    Que precisamos de hospitais e universidades e escolas, medicamentos que falta nos hospitais, e nao temos estradas ou seja falta infra estrutura para crescermos, e o dinheiro saindo,A presidenta teve sua oportunidade de cancelar esta copa, pois o Mundo nunca iria esquecer esta atitude, porque ela iria dizer que,vou investir no meu Pais.

  • Corinthians

    -

    18/6/2013 às 20:10

    Grande Setti,
    Eu que agradeço. Entrei aqui pela primeira vez em 2010 e sabe que nunca mais saí – e nem sempre concordamos, mas aqui é um espaço para debates que muito me ajuda a formar minha opinião.
    Voltando ao assunto, já de novo vemos que foi só elogiar o protesto de ontem que hoje já descambou de novo em mais vandalismo.
    Não tem como continuar assim – esses protestos tem uma grande parcela (apesar dos mais entusiasmados tentarem mudar o foco) de vândalos e de partidários conforme já demontrado por vários jornalistas.
    Sinceramente ? Por mais válido que seja demonstrar sua indignação, eu já venho colocando há algum tempo justamente isso – é uma pseudo-união onde um monte de pessoas estão protestando por causas diferentes. Vemos agora que uns são contra o Alckmin, outros contra Haddad. Uns querem o impeachment da Dillma, mas outros querem implementar o socialismo.
    Vai dar em nada.

    A tentativa de depredar o belo edifício-sede da Prefeitura de São Paulo mostra que os bandidos, os baderneiros, os safados e aproveitadores estão sempre à espreita, caro Corinthians.

    Abração

  • gd

    -

    18/6/2013 às 19:40

    cara vou falar a verdade esses estudantes estão querendo o q????pagam meia em tudo aposto q enquanto estão fazendo essa bagunça os trabalhadores d verdade estão preocupados em como fazer para voltar para casa,resumindo tudo é motivo para manifestação um quer ser gay,outro fumar um bagulho na usp sem ser incomodado essa juventude tá uma porcaria vão trabalhar bando d vagabundos

  • Marco Damasceno

    -

    18/6/2013 às 18:32

    Caro Sr. Suas idéias não refletem aquilo que pensa ou devo adimitir que não foi o sr quem as escreveu?Me parece estranho atacar seus pensamentos expressos sem que com isso não lhe atinja como autor.Já pensou nisso? Sei que o bombardeio está acirrado mas…Errar é humano, os baderneiros erram também.Pior q eles não têm corretor automático nem a tecla “delete’para corrigir os erros cometidos nas ruas sob forte emoção e não diante de um computador como fazem os escritores formadores de opinão.

    Seu comentário é um samba do crioulo doido, mas me ofende imaginar que eu não escrevi o que pensa ou que alguma outra pessoa redigiu um texto em meu blog em meu nome.

  • francisco souza

    -

    18/6/2013 às 18:20

    O povo brasil. parece ter acordado p/ democracia, q/ é tbem, partic. popular, chega de corrpção, ladroeira e falcatrua. vamos derrotar os leões que só querem comer nossa carne. parabens ao povo brasileiro, só lembrando, s/ quebradrera

  • Marco Damasceno

    -

    18/6/2013 às 18:11

    Daniela

    18/06/2013 às 10:21
    …”Por que você não discute o que eu escrevo em vez de atacar a mim pessoalmente?
    Isso é coisa de gente de mentalidade autoritária e fascista, sabia?

  • celsoestevesdesouza

    -

    18/6/2013 às 18:03

    Após os movimentos, será que não está na hora da rainha devolver a coroa ao que nada viu e que nada sabe. Podem até derreter a coroa e fazer um tacape e sentar a pua nele.

  • Artur Souza

    -

    18/6/2013 às 16:54

    Prezado Ricardo. O assunto é importante e interessante demais, vale a pena voltar a ele.
    O que nós ouvimos há 10 anos é o berreiro ufanista de Lula, Dilma e da porcada magra e sequiosa de cargos e dinheiro público que os acompanha. A outrora gloriosa UNE, que liderou os estudantes em passeatas históricas contra o regime militar e pelo impeachment de Collor, foi comprada pelo governo federal. Nunca deu um pio sobre o mensalão e outros assuntos espinhosos à imagem do PT.
    É preciso reconhecer que, apesar de todos os transtornos e excessos cometidos nas manifestações, era essencial que algo assim ocorresse. O silêncio foi rompido, e isso é bom. Não sabemos o que vai acontecer, mas não pode ser pior do que uma sociedade muda e abúlica diante da roubalheira triunfante e da agressividade barulhenta do PT avisando que “o bicho vai pegar.”
    Já que você lembrou algumas vezes Martin Luther King, vale citar o que ele disse: “O que me preocupa não é o grito dos maus, é o silêncio dos bons.”

  • Paulo Cesar Rangel Ribeiro

    -

    18/6/2013 às 16:51

    seria melhor vocÊ sair de cima do muro. ou apóia o movimento ou não apóia. desce do muro.

    Não estou no muro. Vou inclusive escrever sobre isso, Paulo César. Minha postura foi clara desde o começo: sou inteiramente a favor de manifestações públicas de protesto — sempre fui –, mas, da mesma forma, totalmente contra a baderna e a violência.

    As manifestações agora, além de terem mudado de foco, deixaram (quase) toda a baderna de lado.

  • Vinicius Souza

    -

    18/6/2013 às 15:31

    Estúpido e descerebrado é quem, à falta de neurônios e de argumentos, prefere atacar quem propõe ideias em vez de discuti-las.

  • Armando Lima

    -

    18/6/2013 às 15:09

    Prezado Ricardo Setti, os protestos de ontem não simplesmente “pararam a cidade”. Foi muito mais que isso, pois na verdade MOBILIZARAM UM PAÍS. Protestos pacíficos devem continuar e a partir de que se destrói o patrimônio público, então passa a ser baderna e contra a baderna a força policial deve agir. Será que na prática a baderna é apenas isso mesmo ? Os protestos são legítimos, pois durante anos e anos vimos todos os dias nossos políticos “se lixarem” para o povo. TODOS ou QUASE TODOS! Daí então podemos falar também de baderna. Partidos políticos que não tem nenhuma ideologia (e nem fazem questão de ter); que fazem politicagem na base do toma lá dá cá e que se preocupam apenas com cargo$$$ e mais cargo$$$. Baderna talvez seja um país que gasta uma fortuna pra fazer uma copa do mundo e sequer cuida da saúde do seu povo. Baderna é o mensalão com nenhum culpado ainda preso, mesmo depois de todos as provas contra cada um deles, já condenados inclusive. Baderna talvez sejam milhares de licitações assombrosamente superfaturadas e que MATA mais que muita guerra mundo afora. Baderna talvez sejam os impostos suíços que pagamos e os serviços africanos que recebemos de volta. Quem sabe ainda baderna seria o IPVA dos nossos carros e as estradas que rodamos Brasil a fora. Baderna foi o que a classe política transformou nosso país.
    Ricardo, ontem vi algumas situações de baderna, infelizmente. Mas também vi um povo que tem ânsia por mudanças. Um povo que na sua maioria, pacificamente saiu às ruas desejando um país melhor! Não apenas uma passagem de ônibus mais justa e mais barata, mas transporte público digno aos seus cidadãos. Um povo sofrido que trabalha, que batalha, que luta pra prosperar na vida, mas que não aguenta mais tanta BADERNA. Estamos acordando e espero que o “sono” de tantos anos de letargia não nos pegue mais. Temos muito a fazer !

  • Eurico Marques

    -

    18/6/2013 às 14:38

    Pode fazer qualquer tipo de protesto, incluindo este, que tem vários nomes e virou o samba do afrodescendente com problemas mentais( na África não tem só negros, antes que a malta faça alguma besteira). Imaginem 100 mil pessoas nuas na rua, com um chapéu ao menos, e verde amarelo. Se estes 100 mil pelados não souberem votar, de nada adiantou deixarem as roupas em casa.

  • Daniela

    -

    18/6/2013 às 14:20

    Querido Ricardo Setti, li o post com certeza. Que bom que já precisou utilizar do atendimento de saúde pública, está sabendo como anda a situação. Não pretendi lhe atacar pessoalmente, tentei atacar a sua opinião, já que a mesma não condiz com a minha, não pretendo de jeito nenhum lhe ofender.
    “mentalidade autoritária e fascista”, uauuu, nunca pretendi tanto!!!!

    Então sou eu quem lhe pede desculpas, Daniela. Vamos continuar dialogando de forma civilizada e democrática.
    Um abração

  • Cleiton

    -

    18/6/2013 às 14:15

    Queria muito que o PSDB voltasse.

  • Umberto

    -

    18/6/2013 às 14:11

    Olá amigo Ricardo, como vai?

    Sem dúvida os protestos são legítimos e necessários, agora, não podemos esquecer que as manchetes até outro dia, estavam direcionadas à violência urbana. Pessoas estão sendo assaltadas e queimadas vivas…
    A baderna causada por alguns é terreno fertilíssimo, para que outro alguns (estes que ateiam fogo em pessoas) se misturem à massa,e se “manifestem” fazendo toda a espécie de delitos e crimes. As imagens do Rio comprovam isso, ou seja uma das motivações das manifestações (neste caso a violência e falta de segurança da população)é a mesma que a denigre e desvirtua.
    Forte abraço.
    Beto

  • Ronaldo Barra

    -

    18/6/2013 às 14:03

    A presidente Dilma Roussef é uma dissimulada. Orientada pela seus conselheiros vem a público elogiar a manifestação, dizer que é democracia e que o seu governo deseja as mudanças também. Tudo mentira e falsidade. Ela é, juntamente com o Lula, a responsável pela calamidade que assola o país. Para se eleger vende a alma a Deus e ao Diabo, faz concessões as mais espúrias e se junta a salafrários da nossa política para ajudar o projeto do PT de se perpetuar no poder. Oferece ministérios a todo e qualquer malandro que tenha voto (40 ministérios) e a apoie. Aceitou sediar uma copa num país sem estrutura de aeroportos, transportes e estradas. Desviou dinheiro público para construção desnecessária de estádios de futebol, onde o senhor Blatte e companhia, juntamente com as empreiteira e o lobista Lula se empanturram de dinheiro. Pouco se preocupa com a educação, com as estradas e hospitais do país. O que lhe interessa é mais um mandato que a cada dia está mais longe. O povo não é bobo e acordou para as falcatruas do PT. Estamos com inflação pela política econômica sem nexo da presidente, cujos gastos públicos ultrapassam as raias do absurdo. Falta de estrutura e de visão, pensando que o país continuaria seu ciclo de viver às custas de commodities. Ledo engano. A “mestra” e “doutora” em economia deu com os burros n’água. O povo não quer só mudanças, o povo quer a Dilma Roussef e Lula fora do comando do país. Não adianta se fazer de desentendida.

  • Assis

    -

    18/6/2013 às 14:00

    Foi bacana de sua parte pedir desculpas pelo mal jeito com as palavras mesmo que de maneira velada, mas é muito difícil concordar com você quando diz que o governo tentou negociar, no meu modo de ver ele só quer saber as rotas do protesto para reprimir a manifestação como tenho visto, os manifestantes não tem garantia nenhuma de que o governador esta falando a verdade. Negociar uma maneira de passagem livre para carros de emergência eu concordo, concordo também que a frase “parar a cidade” foi mau dita e falar o que não se deve acontece com todos nós não é verdade? Agora uma manifestação sem causar transtorno a alguém isso não existe porque se a manifestação não incomodar não terá resultado e sem resultado o único prejudicado será a população e não nossos políticos que cá entre nós podem fazer o que quiser que não sofreram nada nem o supremo tribunal consegue puni-los.

  • katedref

    -

    18/6/2013 às 13:45

    Seu comentário boçal, ofensivo e mentiroso mostra que você não sabe pensar, não sabe argumentar. Para os destituídos de neurônios, é muito mais fácil ofender quem apresentou ideias e argumentos do que discuti-los.

  • MILTON FEZES

    -

    18/6/2013 às 13:40

    Seu comentário boçal, ofensivo e mentiroso mostra que você não sabe pensar, não sabe argumentar. Para os destituídos de neurônios, é muito mais fácil ofender quem apresentou ideias e argumentos do que discuti-los. O pseudônimo que você escolheu não poderia ser mais apropriado.

  • Rafael

    -

    18/6/2013 às 13:35

    Por que o senhor tão estudado e informado não me dá uma lição sobre o que tinha de desinformado e ignorante no meu comentário?

  • maura Sueli

    -

    18/6/2013 às 13:11

    concordo com o leitor Adriano Moraes me lembro da musica -garoto de rua. serve para os políticos e para o povo não ficar só vendo as noticia na televisão.
    se eu fosse lider deste grupo colocaria no som do caminhão,para conciêntisar mais e mais o povo.e não desistir nunca e protestar sempre.

  • Jeff

    -

    18/6/2013 às 13:10

    O que seria bel prazer?

  • Rafael

    -

    18/6/2013 às 13:09

    E vc acha que Martin Luther King juntou 200mil pessoas em Washington do nada? Sem interromper ruas, sem comprometer o direito de ir e vir de um monte de outras pessoas? Aposto que se vc vivesse nos EUA dos anos 60, estaria fazendo as mesmas reclamações sobre King que faz sobre as manifestações em São Paulo. Certeza.

    Estude um pouco. Informe-se mais. Depois volte aqui.

  • maura Sueli

    -

    18/6/2013 às 12:57

    Ricardo Setti você com sua opinião de povo baderneiro tem um pouco de verdade mas,baderna esta na politica no mensalão que não foi até o fim o dinheiro publico desperdiçado na copa com capa de chuva no valor trezentos reis a escola que não tem segurança nas periferias de SP o professor que perdeu seu direito de dar aula em paz por falta de leis rigídas para alunos e pais.é uma bandalheira.

  • Roberto

    -

    18/6/2013 às 12:46

    O gigante estava adormecido bem a beira das margens plácidas, porém alguém soltou um brado retumbante e ele despertou!
    Despertou para fazer com que novamente brilhe o sol da liberdade, para que impere a igualdade e que mais uma vez, o pátria amada, conquistemos com o braço forte, a possibilidade de que em teu futuro espelhe alguma grandeza, para a possibilidade de um dia deitarmo-nos em berço esplendido ao som do mar e a luz do céu profundo iluminados ao sol do novo mundo.
    Nem que para isso venhamos a desafiar com o nosso peito a própria morte, para realizarmos um sonho intenso que a muito almejamos, um sonho de amor e esperança, para que consigamos impedir que devastem, desmatem e queimem nossos risonhos e lindos campos cheios de flores, para que não acabem com a vida de nossos bosques, para que com orgulho possamos sustentar o nosso lábaro estrelado e assim, com essas lutas que travamos nos dias de hoje, venhamos a conquistar a paz no futuro mediante as glórias do passado!
    E diante de tudo isso nossos governantes corruptos e safados terão a certeza de que um filho teu não foge a luta e muito menos não teme quem te adora a própria morte minha pátria amada que és tu BRASIL!!!!

    Ass: José Roberto

  • Márcia Maria

    -

    18/6/2013 às 12:45

    Seu Setti, aqui no RS,em Poa a manifestação ia tranquila,até chegar a um dos campus da Ufrgs, aí os estudantes foram participar e virou bagunça, queimaram ônibus, atacaram empresas privadas,quebraram lixeiras e tudo. E foram para cima da sede da ZH. Tentaram depredar tudo. Fizeram barricadas de containner de lixos. Mas, até q tudo terminou bem. Só q um detalhe toda bagunça foi avalizada pelo Gov. Tarso Genro, q pediu para Brigada militar q não fizesse nada só acompanhasse os vândalos.Outra, o velho senador de Guerra Paulo Paim. Achou q o movimento em Brasília era para derrubar o governo. Aí pediu para falar e negociar com os líderes políticos dos movimentos. Por incrível q pareça eles disseram q não eram movimentos Políticos. E não tinha nenhum político. Então só em Brasilia realmente foi espontaneo…

  • Alessandro Medeiros

    -

    18/6/2013 às 12:39

    Caro Alessandro, sua indignação tem toda a razão de ser, mas neste espaço só em letras minúsculas, combinado? Abraços.

  • Thales

    -

    18/6/2013 às 12:31

    Todo protesto pacífico é válido. Mesmos os partidários. Meu único temor é que haja gente que não passe de inocente útil nessa história.
    Não acreditem em ninguém que não sejam vocês mesmos e, os que acham que não são manipuláveis são os que mais são.

  • JOÃO ZIBARJAN

    -

    18/6/2013 às 12:23

    Concordo com as manifestações e hora do país deixar de lado a politicagem e partir para a efetiva administração. Discordo da badernagem e da destruição de bens públicos,afinal é o nosso patrimonio pago as duras penas com nosso impostos. Se há necessidade de quebra-quebra que o façam nas casas do josé sarnei, zé dirceu e demais mensaleiros, renan calheiros, romero jucá, lula, entre outros

  • Jurandir Araguaia

    -

    18/6/2013 às 12:20

    Meu caro, o que hoje vemos é uma reação popular legítima à soma de todas as nossas indignidades. O povo, quando cansa, age de forma abrupta, indomável até! O Governo precisa dar uma resposta afirmativa e seria bom começar agindo para que os condenados do Mensalão fosse presos. Enterrar a PEC-37 seria outro passo afirmativo e positivo e, assim, os ânimos acalmariam. Tentar fazer uma propaganda em cadeia nacional, conforme pretendem, mostrando as conquistas do governo nos últimos anos será o mesmo que jogar gasolina na fogueira. O Brasil Acordou!

  • Jurandir Araguaia

    -

    18/6/2013 às 12:18

    Meu caro, o que hoje vemos é uma reação popular legítima à soma de todas as nossas indignidades. O povo, quando cansa, age de forma abrupta, indomável até! O Governo precisa dar uma resposta afirmativa e seria bom começar agindo para que os condenados do Mensalão fosse presos. Enterrar a PEC-37 seria outra passo afirmativo e positivo e, assim, os ânimos acalmariam. Tentar fazer uma propaganda em cadeia nacional, conforme pretendem, mostrando as conquistas do governo nos últimos anos será o mesmo que jogar gasolina na fogueira. O Brasil Acordou!

  • Márcia Maria

    -

    18/6/2013 às 12:16

    Seu Setti, se for verdade q esse MPL e Juntos, são de esquerdas. Então, é Canalhice pura, vi esses tipinhos no JN e um pouco agora, na Fátima Bernades. Vou ter q tb dizer q o seu Luis Inácio, continua o mesmo *****. Quando diz q movimento social não é caso de polícia. Seu Setti, acho q só o Sr. e Eu entende Reinaldo Azevedo. Como pode ter alguma seriedade um Movimento q reinvidica serviços de gratuidade! Por favor alguém me responda? Essa gratuidade, os custos vão ser voluntários, por esses Babacas. Atá agora não entendi. É caso de internação ou mesmo de má fé política… E como é bonito revindicar qq gratuidade em tudo. Eles dizem q transporte público não é técnico mas político.É muito mais grave ainda.Sem se preocupar com qq tipo de custeio. Então tem q ser enquadrados pelo MP, esses malandros, no velho 171.Ou por irresponsabilidade fiscal pública. Seu Setti o Sr. e o Reinaldo tem q acabar com esses movimentos de esquerda e desmistificar essa coisa q serviços públicos são gratuitos. Acabar com essa farsa mentirosa e bandida, usada por esses movimentos….

  • Ney do MS

    -

    18/6/2013 às 11:29

    Pois é, Setti, os PeTralhas que, na manhã de ontem, comemoravam a derrocado iminente do governador Geraldo Alckmim (o único político que demonstrou coragem e deu a cara para bater), hoje, estão contabilizando os prejuízos (a manifestação em São Paulo foi tranquila, com exceção de uma minoria de vândalos, que no final da noite,tentou – sem sucesso – invadir o Palácio Bandeirantes) com a violência no Rio de Janeiro e Porto Alegre (governada por políticos do PT ou da base alugada do governo Lula/Dilma); sem falar da ocupação do Congresso Nacional e das acusações entre os PeTralhas do Distrito Federal (o governador Agnelo Queiroz, do PT, acusou funcionários lotados no gabinete da Presidência da República de estarem incitando os manifestantes em Brasilia). Nada como um dia após om outro, não ?

  • Leonardo

    -

    18/6/2013 às 11:29

    Augusto, parabéns pelo texto. Inclusive defendendo o direito de ir e vir. Mas se não for desta maneira, pacifica, ordeira (abomino a baderna), não conseguirão demonstrar nossa insatisfação com este governo, políticos (com raríssima exceção ) e partidos. Eles quando querem dobrar seus salários, fazem na calada da noite. Sem se preocupar com a opinião pública. Veja um exemplo (de tantos que você conhece): Alterar a Lei da Ficha Limpa. Será que entre os manifestantes havia alguém pago pelo PT como fizeram com a blogueira cubana Yoani Sanchéz? Nós NÃO PRECISAMOS DE POLITICOS CORRUPTOS E NEM DE MAIS PARTIDOS POLITICOS. Este tem que ter é VERGONHA NA CARA E RESPEITAR O POVO BRASILEIRO. Os Ministros do STF devem retirar lições destas manifestações. O POVÃO É QUEM PAGA TODOS ELES. NÃO É A DESGOVERNADA.

  • Chico Pinedo

    -

    18/6/2013 às 11:27

    Ricardo, acho que, infelizmente, haverá uma minoria que irá agredir, provocar e, mais cedo ou mais tarde, produzir um cadáver. Num pais como o Brasil, onde se mata por um pirulito, isto é a coisa mais fácil. O que não significa que os tais protestos serão responsáveis pelo cadáver! Poderá até ser executado por um marginal, cobrando uma dívida de droga de alguém que estava no meio da turba. Isto será mais um episódio da nossa violência urbana, apenas com a notícia transferida da editoria de polícia para a de política…Mas o risco de tal fato lamentável não elimina o mérito das manifestações. Obviamente começaram para atingir Alkmin, insufladas pelo PT, para logo fugir ao controle e, ao sabor de sms e twitters, espalharem-se pela juventude de todo o Brasil, chamando-a para as ruas. Com a água chegando na bunda, a classe média motivou-se a ir, meio sem consciência do porquê. Uns vão pela tarifa, outros pela luta contra a corrupção, outros para gazetear a faculdade, outros para uma curtição, etc. Mas já foram 250.000 e serão mais. Porque a classe média está de saco cheio do recomeço da inflação, dos impostos, dos concursos públicos, da má condição do transporte público ou da péssima mobilidade urbana, das dificuldades para manter a saúde, da péssima educação, da violência desenfreada, da corrupção, das mentiras de muitos políticos e de seus aliados da (má) imprensa, etc. Diz um ditado português: “casa de pouco pão, todos brigam e ninguém tem razão…” É o que marca este momento. Mas as manifestações deste tipo irão crescer, na mesma proporção em que as dificuldades econômicas evoluírem (como irão)! Se irão se consolidar em um movimento político, só o tempo dirá. Talvez em dois: um que radicalize o projeto bolivariano, liderado pelo PT, PSTU, PSOL, PCO, etc. O triste é que seu oposto não tem uma liderança (até aqui). O caldo de cultura para uma oposição está se formando, mas ela não existe. Por lamentável, atualmente, a maior força de oposição no Brasil esta na Revista Veja. É ela quem pauta uma consciência contrária aos desmandos deste grupo que está destruindo o Brasil. Mas a Revista é imprensa e não um partido. Assim, ninguém instrumentaliza uma ação consequente de oposição. Atenção: Aécio, Marina e Eduardo. Como se diz na minha terra, o cavalo está passando, com a sela em cima. É só montar…

  • Dudu

    -

    18/6/2013 às 11:26

    amigo colunista, você tem falado muito em baderna, vandalismo. concordo e discordo. no começo houve sim vandalismo, nos primeiros dias, nos próximos os atos foram pacíficos e com o mínimo de vandalismo (e quem nos garante que não houveram infiltrados provocando os vandalismos?) depois veio a PM e “desceu o cecete” com que direito? infringindo o meu direito de manifestar? que legal. aí você cita Martin Luther King que promoveu um protesto 100% pacífico mas esquece que o mesmo tendo seu fim por assassinato! amigo colunista, te sugiro ler menos VEJA, e G1 e demais da globo, para não ficar mais contaminado com essa imagem que tentou propagar aqui. a realidade é outra, não preciso descrever, a mídia da internet (a única que não tem rabo preso com o governo) está aberta pra quem quiser conferir. abraço!

    Caro Dudu, você se engana redondamente ao imaginar que um sujeito à altura da vida em que estou limite sua leitura a este ou àquele veículo. Leio em um dia o que muitos não lêem em um ano, pode acreditar.
    E também ouço e entrevisto muita gente.
    Outro abraço

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados