Blogs e Colunistas

terça-feira, 25 de agosto de 2015

11:32 \ Brasil

Mais uma delação

Auler repensa delação

Auler repensa delação

João Auler, o único executivo da Camargo Corrêa que não topou delação premiada, voltou atrás e está repensando seu silêncio.

Por Lauro Jardim
Share

domingo, 23 de agosto de 2015

6:58 \ Brasil

Fora de tudo

Vilardi

Vilardi aproveitou ideia de Thomaz Bastos

O acordo de leniência firmado na quinta-feira passada pela Camargo Corrêa com o Ministério Público Federal, em que vai pagar 700 milhões de reais para Petrobras, Eletronuclear e Eletrobras e, assim, sair da Lava-Jato (leia mais aqui), terá outra consequência.

A empreiteira se livrará também das ações de improbidade contra ela.

Quem costurou o acordo foi o advogado Celso Vilardi, a partir de uma ideia que originalmente surgiu com Márcio Thomaz Bastos.

Por Lauro Jardim
Share

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

19:56 \ Brasil

Fora da Lava-Jato

Praticamente fora da Lava-Jato

Camargo Corrêa é a primeira a sair

A Camargo Corrêa fechou hoje  em Curitiba um acordo de leniência com o Ministério Público Federal pelas encrencas em que se meteu no Petrolão. Vai pagar entre 500 milhões de reais de multa. Ontem, já havia anunciado um outro acordo de leniência com o Cade, pelo qual pagará 104 milhões de reais em multas (leia mais aqui).

Assim, a Camargo Corrêa é a primeira empreiteira a sair da Lava-Jato.

Por Lauro Jardim
Share

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

11:44 \ Brasil

Os acordos da Camargo

Leniência em negociação

Leniência em negociação

A Camargo Corrêa voltou à mesa de negociações com os procuradores federais em Curitiba para conversar sobre um acordo de leniência para a empreiteira.

Em outra frente, a Camargo faz o mesmo no Cade para se livrar das encrencas que tem no setor elétrico (leia mais aqui).

E hoje celebrou o acordo para investigação de cartel nas licitações da Petrobras, em que a empresa e ex-executivos reconhecem a participação nos esquemas e pagarão multa de 104 milhões de reais.

Por Lauro Jardim
Share

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

7:01 \ Brasil

Mais delações

Setor elétrico: no centro de mais uma delação

Setor elétrico: no centro de mais uma delação

O executivo da Camargo Corrêa Luiz Carlos Martins negocia um acordo de delação premiada na Procuradoria-Geral da República.

O cardápio da negociação está cheio de nomes de políticos com foro no STF que, segundo Martins, envolveram-se em negociatas no setor elétrico.

Por Lauro Jardim
Share

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

15:27 \ Brasil

Fala, Araripe, fala

odebrecht

Ex-gerente da Petrobras pode complicar empreiteiras

Preso anteontem na nova fase da Lava-Jato, Celso Araripe, que na semana passada foi demitido por justa causa pela Petrobras, pode ser mais uma fonte de dor de cabeça para a Odebrecht e Camargo Corrêa.

Além de cuidar de obras do Comperj, Araripe foi o responsável pela construção da sede da Petrobras em Vitória. Um prédio inicialmente orçado em 90 milhões de reais e que acabou saindo por 586 milhões de reais. Se Araripe resolver falar…

(Atualização. A Odebrecht entrou em contato para esclarecer que o projeto de 90 milhões de reais era dos anos 90 e nunca chegou a ser licitado. A licitação que foi feita tinha valor inicial de 485 milhões de reais)

Por Lauro Jardim
Share

quinta-feira, 30 de julho de 2015

6:01 \ Governo

Acordo de leniência

Leniência em negociação

Leniência em negociação

A Camargo Corrêa negocia um acordo de leniência no Cade, na investigação de um cartel do setor elétrico (leia mais aqui).

Sair na frente no Cade é estratégico.

A lei do Sistema Brasileiro de Defesa de Concorrência, que dá as bases de qualquer acordo de leniência no Cade, diz que só a primeira empresa a fechar o acordo pode ser beneficiada com diminuição da punição.

Por Lauro Jardim
Share

segunda-feira, 27 de julho de 2015

6:01 \ Governo

Mais incentivos

Cade: mais incentivo à leniência

Cade: mais incentivo à leniência

Em tempos de Lava-Jato, em que se descobre cada vez mais elos das rapinagens praticadas pelas empreiteiras, o Cade vai estimular nas mesas de negociação dos acordos de leniência com empresas pegas em cartel o chamado “leniência plus”.

Com essa medida, prevista na lei que criou o Sistema Brasileiro de Defesa de Concorrência, uma empresa descoberta novamente num cartel terá um incentivo a mais se for a primeira a entrar no acordo de leniência na segunda infração.

No cartel da Petrobras, foi a Setal.

Além dos benefícios obtidos por entregar o segundo cartel em que foi descoberta, a empresa receberá o abatimento de um terço das penalidades impostas ao fim do processo de punição do primeiro cartel.

Uma empresa atuar em cartéis diferentes é comum. A Camargo Corrêa, por exemplo, já foi pega no cartel do cimento e, agora, no cartel da Petrobras.

Por Lauro Jardim
Share

terça-feira, 23 de junho de 2015

7:28 \ Brasil

A Camargo e Gushiken

Consutoria de Gushiken recebeu da Camargo

Consutoria de Gushiken recebeu da Camargo

A Polícia Federal identificou um pagamento de 93 850 reais pela Camargo Corrêa à empresa AGH Consultoria Empresarial Ltda – EPP, em outubro de 2009.

Trata-se da consultoria de Luiz Gushiken, que morreu em 2013.

Por Lauro Jardim
Share

quarta-feira, 6 de maio de 2015

7:32 \ Brasil

Camargo Corrêa e Dirceu

josé dirceu

Camargo tenta provar distância de Dirceu

A Camargo Corrêa apresentou dois e-mails para tentar provar aos procuradores da Lava-Jato que sempre teve uma relação distante com José Dirceu. Em dezembro, uma documentação apreendida na empreiteira revelou o pagamento de 886 000 reais para a JD Assessoria, a empresa de consultoria de Dirceu.

A Camargo enviou para os procuradores o que diz serem as únicas mensagens de seus executivos para Dirceu. São e-mails de 2011 de Vitor Hallack, ex-presidente do conselho de administração, desejando ‘Feliz aniversário’, ‘Feliz Natal’ e ‘Um próspero Ano Novo’.

Por Lauro Jardim
Share

segunda-feira, 4 de maio de 2015

15:23 \ Economia

Empreiteiras no leilão

Fora dos leilões de gado

Fora dos leilões de gado

As empresas envolvidas na Operação Lava-Jato terão posturas distintas na Exbozebu. Enquanto a Agropecuária Conquista, da Camargo Corrêa, decidiu desistir de comprar e vender no leilão de gado, a EAO, da Odebrecht, fará uma das disputas mais acirradas das noites de Uberaba.

(Atualização às 19h19: a Odebrecht entrou em contato para esclarecer que a EAO é de propriedade da família que controla a empreiteira)

Por Lauro Jardim
Share

quinta-feira, 19 de março de 2015

6:08 \ Brasil

Belo Monte bilionária

belo monte

Belo Monte: acima dos 30 bilhões de reais

Em meio à operação Lava-Jato, a obra da usina de Belo Monte – já envolvida da encrenca, ainda que lateralmente – segue ficando mais cara silenciosamente.

Nesta semana, uma reunião do conselho de administração da Eletrobrás aprovou a capitalização de 1,3 bilhão de reais ao consórcio Norte Energia, formado pela estatal e outros sócios. O valor da obra já ultrapassou a marca dos 30 bilhões de reais e a expectativa é que os executivos da Camargo Corrêa confessem uma propina de 100 milhões de reais para PT e PMDB.

(Atualização às 23h54: a assessoria do consórcio entrou em contato e informou que  “ o aumento do capital social aprovado em Assembleia pelos Acionistas nesta semana não está vinculado a nenhum aumento no custo do projeto.  Trata-se apenas de equilibrar parte dos impactos da correção monetária que ficou acima do previsto à época do leilão.”)

Por Lauro Jardim
Share

quarta-feira, 11 de março de 2015

6:01 \ Brasil

O Rio treme

cabral

Preocupados com delações de executivos da Camargo

Além da delação de Paulo Roberto Costa, outros depoimentos da operação Lava-Jato estão tirando do sono Sérgio Cabral, Luiz Fernando Pezão & cia.

A delação premiada dos executivos da Camargo Corrêa pode trazer à tona novamente uma investigação da Polícia Federal envolvendo o governo do Rio de Janeiro.

O inquérito apura se a Opportrans, controladora da Metrô Rio até 2008, quitou dívida do governo do Rio junto à empreiteira para pagamento de propina.

Segundo anotações encontradas na sede da Camargo Corrêa em 2009, Wilson Carlos, braço-direito de Cabral, abocanhou 5% dos 40 milhões de reais negociados na transação.

Os procuradores da Lava-Jato já se informaram sobre o caso na semana passada. Resta saber se Dalton Avancini e Eduardo Leite, presidente e vice-presidente da Camargo, vão abrir o bico.

Por Lauro Jardim
Share

domingo, 1 de março de 2015

7:36 \ Brasil

Farta clientela

Jobim, ex ministro da Justiça e ex-presidente do STF: as empreiteiras o procuram

Jobim, ex ministro da Justiça e ex-presidente do STF: as empreiteiras o procuram

Nelson Jobim, que já trabalha para a Odebrecht na Lava-Jato, ganhou mais um cliente no escândalo. A Camargo Corrêa o contratou.

Por Lauro Jardim
Share

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

16:26 \ Brasil

Passada de perna

Duque

Duque quis punir a Camargo e ajudou a Alusa

A empreiteira Alusa passou a perna nas demais integrantes do cartel que dividia as obras da Petrobras ao receber um contrato do Comperj no lugar da Camargo Corrêa.

Em sua delação premiada, Alberto Youssef explicou que Renato Duque disse à Alusa o valor que ela deveria apresentar como proposta para ganhar a concorrência.

O objetivo era punir a Camargo, que deveria ganhar o contrato, mas fazia jogo duro para pagar as comissões.

Por Lauro Jardim
Share

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

6:04 \ Brasil

Subiu no telhado

Sem acordo

Sem acordo

A negociação entre a Camargo Corrêa e o Ministério Público para um acordo de leniência voltou à estaca zero.

Por Lauro Jardim
Share

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

9:31 \ Brasil

Pagamentos despencam

Faturamento do governo federal caiu à metade

Faturamento do governo federal caiu à metade

Envolvidas na Lava-Jato, as construtoras Queiroz Galvão e Andrade Gutierrez viram os pagamentos feitos pelo governo federal a seus cofres em 2014 despencarem.

O total recebido pela Queiroz caiu para menos da metade: de 508 milhões de reais em 2013 para 244 milhões de reais em 2014.

A queda da Andrade Gutierrez foi ainda maior: em vez dos 392 milhões recebidos em 2013, a empreiteira recebeu 119 milhões no ano passado. Menos de um terço.

As contas também não foram positivas para a OAS e para a Camargo Corrêa. O total pago à primeira caiu de 82 milhões de reais em 2013 para 61 milhões de reais em 2014.

Já a Camargo Corrêa, embora ainda seja a segunda empreiteira que mais recebeu dinheiro do governo em 2014, viu seus pagamentos diminuírem de 592 milhões de reais em 2013 para 459 milhões de reais no ano passado.

Os valores são apenas dos pagamentos diretos a cada empreiteira, sem considerar os consórcios que elas integram.

Por Lauro Jardim
Share

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

15:34 \ Brasil

Camargo e a delação

Em acordo

Em acordo

A Camargo Corrêa chegou a negociar sua delação premiada, mas parou por falta de acordo com o Ministério Público. Uma série de exigências feitas esfriou o processo por enquanto.

Por Lauro Jardim
Share

sábado, 3 de janeiro de 2015

7:03 \ Brasil

Sai de baixo

Em acordo

Em acordo

A Camargo Corrêa está negociando os termos de um acordo de delação premiada. Não se trata de um acordo de leniência. Mas, repita-se, de delação. A possibilidade acendeu a luz amarela entre as outras empreiteiras.

Por Lauro Jardim
Share

sábado, 13 de dezembro de 2014

6:29 \ Brasil

E tem mais

dirceu

Dirceu: em breve, outras consultorias

O contrato de consultoria de quase 900 000 reais de José Dirceu com a Camargo Corrêa, descoberto agora no bojo da Lava-Jato, não era o único que o ex-ministro tinha com empreiteiras. Pelo menos outros dois vão aparecer.

Por Lauro Jardim
Share

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

18:26 \ Brasil

Relações familiares

eduardo leite

Leite: escritório do irmão defendeu a Camargo

O escritório Edgard Leite Advogados, do irmão do vice-presidente comercial da Camargo Corrêa Eduardo Leite, hoje preso na carceragem da PF no Paraná por causa da Lava-Jato, faturou 27,4 milhões de reais da construtora entre 2009 e 2013. Foi a banca que mais ganhou dinheiro da empreiteira no período.

Por Lauro Jardim
Share

domingo, 7 de dezembro de 2014

8:02 \ Brasil

Cofres abertos

mariz

Mariz ganhou 2,9 milhões de reais para defender Eduardo Leite

De acordo com dados coletados pela PF sobre a Camargo Corrêa, na Lava-Jato, a empreiteira pagou 16,1 milhões de reais em honorários ao escritório de Márcio Thomaz Bastos entre 2010 e 2013.

Já o também criminalista Antonio Mariz de Oliveira, que hoje defende o diretor da Camargo Eduardo Leite, o Leitoso, embolsou 2,9 milhões de reais entre 2009 e 2011 da empreiteira.

Por Lauro Jardim
Share

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

6:01 \ Brasil

Sem acordo

janot

Janot recebeu arquivo falso

Rodrigo Janot foi procurado ontem  na Procuradoria-Geral da República por uma pessoa que está tratando da Operação Lava-Jato com a informação de que a Camargo Corrêa havia feito um acordo de delação premiada. Mais: mostrou até um arquivo em que continha os termos do tal acordo. Janot rasgou o tal arquivo. Não era verdadeiro.

Por Lauro Jardim
Share

sábado, 11 de outubro de 2014

6:22 \ Brasil

Tempo de delação

Trabalhando dobrado em defesa das grandes empreiteiras

Trabalhando dobrado em defesa das grandes empreiteiras

Pelo menos um dos executivos da Camargo Corrêa, implicado na Lava Jato, já está negociando uma delação premiada.

A propósito, neste imbróglio da Petrobras, Márcio Thomaz Bastos é advogado de duas empreiteiras – a Camargo Corrêa e a Odebrecht. Mas não há conflito de interesses. Thomaz Bastos defende as questões da Odebrecht na área internacional e da Camargo aqui.

Por Lauro Jardim
Share

sábado, 20 de setembro de 2014

7:37 \ Brasil

Em pânico

Youssef: em desgraça, perde caego no governo

Youssef: pedido de busca na Camargo Corrêa

Policiais foram à sede da Camargo Corrêa, na terça-feira, dia 16, em busca de documentos relativos à refinaria Abreu e Lima., numa perícia previamente agendada. Cumpriam uma ordem judicial feita a partir de um pedido da defesa do doleiro Alberto Youssef.

A propósito, os fornecedores da Petrobras estão em polvorosa. Na semana passada, correram rumores de que uma grande empreiteira topara a delação premiada.

Não é fato. Mas a turma entrou em pânico.

Por Lauro Jardim
Share

quinta-feira, 10 de julho de 2014

20:03 \ Economia

Operação cimentada

intercement

Captação de recursos

A InterCement, holding do segmento de cimento da Camargo Corrêa, fechou hoje na bolsa de Cingapura uma operação de captação de recursos com venda de 750 milhões de dólares em bonds com prazo de dez anos.

A taxa de remuneração da operação foi de  5,75% ao ano, abaixo das médias ofertadas para o setor no mundo.

Por Lauro Jardim
Share

domingo, 11 de maio de 2014

10:07 \ Economia

Ajuda externa

atlantico sul

No vermelho há nove anos

O Fundo de Investimento (FI) do FGTS é agora dono de 30% do Estaleiro Atlântico Sul, negócio controlado pela Camargo Corrêa e a Queiroz Galvão que nunca saiu do vermelho desde que foi criado há quase nove anos. O comitê do FI aprovou o aporte de 400 milhões de reais ao estaleiro encalhado.

Vale lembrar que os conselheiros do fundo estão fazendo essa — e muitas outras — apostas de alto risco com dinheiro dos trabalhadores. Aliás, no Congresso, dá-se como certo que o FI do FGTS é um escândalo pronto para eclodir.

Por Lauro Jardim
Share

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

6:03 \ Judiciário

Operação ressuscitada

Nas mãos do elator

O Ministério Público de São Paulo recorreu ao STF, pedindo que a Operação Castelo de Areia seja reaberta. O relator da apelação é o mais novo ministro da Corte, Luís Roberto Barroso.

A Castelo de Areia é a investigação que apurava superfaturamento de contratos, fraudes em concorrências, pagamento de propinas. Uma montanha de 200 políticos de todos os partidos pode ter recebido o dinheiro proveniente da bandalheira.

Em 2010, o então presidente do STJ, Cesar Asfor Rocha, suspendeu a Castelo de Areia sob a justificativa de que o Ministério Público partiu de uma denúncia anônima para instalar os grampos para as escutas telefônicas – uma decisão inédita na história do STJ, aliás.

Quem conseguiu o travamento do inquérito foi Marcio Thomaz Bastos, advogado da Camargo Corrêa, uma das empreiteiras que aparecem nas escutas.

A Castelo de Areia, que tanto pânico causa em governantes de várias latitudes e empreiteiras, pode, portanto, voltar a assombrá-los.

Por Lauro Jardim
Share

sexta-feira, 13 de abril de 2012

14:36 \ Brasil

Acidente aéreo

O empresário Fernando de Arruda Botelho, acionista do Grupo Camargo Corrêa, morreu hoje em um acidente aéreo na cidade de Itirapina. Botelho estava em um voo particular e se dirigia para outra cidade do interior de São Paulo.

Por Lauro Jardim
Share

sexta-feira, 30 de março de 2012

7:04 \ Economia

Fora de BH

A Camargo Corrêa fechou o escritório de Belo Horizonte.

Por Lauro Jardim
Share
 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados