‘Pai’ da web critica gigantes Facebook, Apple e Google

Tim Berners-Lee diz que empresas ameaçam estrutura democrática da rede

Por Da Redação - 23 nov 2010, 18h33

O engenheiro britânico Tim Berners-Lee, considerado um dos “pais” da web, publicou um artigo na revista Scientific American que começou a circular nesta segunda-feira em que classifica empresas como Facebook e Apple como “inimigos da rede”. “A estrutura aberta e democrática da rede está sendo ameaçada por forças que tentam alterar o funcionamento das coisas, esperando se beneficiar das mudanças”, diz Berners-Lee.

O Facebook é criticado por supostamente não permitir que os usuários retirem da rede social as informações que eles próprios colocam ali (leia mais a respeito). A Apple, de Steve Jobs, também deu mau exemplo, argumenta o britânico. “O iTunes, loja de música da empresa, usa um endereço que começa com ‘itunes’ em lugar de ‘http'”, queixa-se o engenheiro. “Dessa forma, o endereço só pode ser acessado por quem usa o programa iTunes. E as informações não podem ser linkadas para outro lugar: elas estão aprisionadas.”

Nem o Google escapou das broncas do criador da web. Ele revelou insatisfação com a proposta de neutralidade de rede apresentada pelo buscador em parceria com a Verizon, operadora de telefonia americana que fornece conexão de internet. A dupla sugeriu que operadoras como a Verizon possam aumentar a velocidade de transmissão de dados de conexões móveis se os usuários estiverem dispostos a pagar a mais pelo privilégio.

Berners-Lee defende ainda que a web siga padrões que garantam que todo navegador possa acessar qualquer site. “Padrões abertos são o que impulsiona a inovação”, explica. Ele também admitiu preocupação com a publicação de conteúdos de revistas e jornais em versões dedicadas a smartphones. O britânico argumento que esse conteúdo só pode ser acessado pelos aparelhos, e não pela web.

Publicidade