Clique e assine a partir de 8,90/mês

Microsoft compra divisão de celulares da Nokia

Empresa americana conclui negócio bilionário para tentar entrar de vez no mercado de smartphones, no qual teve uma pálida presença na última década

Por Da Redação - 3 set 2013, 01h47

A Microsoft anunciou no final da noite desta segunda-feira que está comprando as principais divisões da fabricante Nokia por 5,44 bilhões de euros (cerca de 7,17 bilhões de dólares ou 17 bilhões de reais). A transação inclui a aquisição das unidades de aparelhos celulares e serviços da Nokia por 3,49 bilhões de euros e a compra das patentes registradas pela Nokia por 1,65 bilhão de euros – neste caso, a licença para uso das patentes valerá 10 anos, com possibilidade de renovação.

Com o negócio bilionário, a empresa americana fundada por Bill Gates tenta entrar de vez no mercado de smartphones, no qual teve uma pálida presença desde a mudança de paradigma introduzida pelo iPhone na última década. As grandes esperanças estão nos aparelhos da linha Lumia, criada pela companhia finlandesa e que utiliza a plataforma Windows Phone – desenvolvida pela Microsoft.

O acordo também inclui a incorporação dos executivos da Nokia, incluindo o presidente executivo Stephen Elop. Ex-funcionário da Microsoft, ele é um dos mais cotados para assumir o comando da empresa americana no lugar do CEO Steve Ballmer, cuja aposentadoria foi anunciada recentemente. Jo Harlow, Juha Putkiranta, Timo Toikkanen e Chris Weber, integrantes do alto escação da Nokia, também devem se juntar à equipe da compradora.

“Estamos muito empolgados com a proposta de reunir os melhores esforços da Microsoft e da Nokia em aparelhos móveis”, declarou Ballmer em um comunicado a funcionários. “Estamos recebendo talento, tecnologia e propriedade intelectual incríveis”.

Leia mais:

Troca de guarda deve acelerar inovação na Microsoft

Para financiar o negócio, a Microsoft vai mergulhar em suas grandes reservas de caixa no exterior. No final da operação, cerca de 32 000 funcionários da Nokia devem ser transferidos para a Microsoft, incluindo 4 700 apenas na Finlândia.

A Nokia vai se concentrar em seus negócios fazendo equipamentos de rede, serviços baseados em localização e outras “tecnologias avançadas”. As demais empresas do grupo respondem por cerca de metade das vendas da empresa em 2012.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade