Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Fipe e Buscapé criam índice de variação de preços da web

Segundo o indicador, valores de produtos comercializados na rede caíram 9,6% entre janeiro e novembro

Os preços de produtos oferecidos na internet caíram 9,6% entre janeiro e novembro de 2011, de acordo com o Índice Fipe/Buscapé, lançado nesta quinta-feira. O indicador é fruto de uma parceria entre a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e o Buscapé, maior site de comparação de preços da América Latina. A finalidade é medir o crescimento real do e-commerce no Brasil e acompanhar mensalmente a variação de preços do comércio eletrônico.

“É importante ter um índice de preços específico para o comércio eletrônico”, afirma Sérgio Crispim, pesquisador da Fipe. “As compras do e-commerce são muito diferentes das feitas em lojas convencionais.”

Os responsáveis apostam ainda que o consumidor será particularmente beneficiado pelo indicador. “Sempre tivemos a impressão de que os preços na web tendem a cair mais rápido”, diz Romero Rodrigues, presidente e cofundador do Buscapé. “Agora, podemos comprovar isso.”

Será usada a metodologia da Fipe para analisar os dados de produtos que constem do banco de dados do Buscapé e da e-bit, empresa de monitoramento do comércio eletrônico – que avalia a qualidade de mais de 5.000 lojas on-line de todo o país. O levantamento é dinâmico: sempre que uma loja ou categoria ganha relevância, ela será incorporada à pesquisa. Mais adiante, a parceria Fipe-Buscapé deverá acompanhar a evolução da qualidade dos produtos vendidos, não só os preços.

Os produtos mais comprados através da internet – que pertencem às categorias de eletrodomésticos, eletrônicos, informática, telefonia, cosméticos, esportes, casa e decoração, brinquedos e games, moda e acessórios – representam apenas 5,2% do consumo das famílias, de acordo com o IBGE. Mas, na esfera virtual, respondem por 81,6% das vendas.

Em 2011, a categoria que registrou maior redução nos preços foi a de fotografia, com queda de 21,8%. Já os brinquedos e games registraram a maior elevação: 6,6%.