Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

As alternativas (seguras) ao WhatsApp

Bloqueio da Justiça puniu milhares de brasileiros, mas há no mercado apps semelhantes para se comunicar de forma rápida, gratuita e sem riscos

O bloqueio ao WhatsApp imposto nesta segunda-feira pelo juiz Marcel Maia Montalvão, da comarca de Lagarto, em Sergipe, causou novamente uma confusão aos usuários brasileiros, que perderam, enquanto durar a suspensão prevista para 72 horas, o seu principal meio de comunicação instantâneo – e gratuito. Há, porém, algumas opções bastante semelhantes e seguras disponíveis no mercado.

O Telegram, aplicativo tido como um dos principais rivais do WhatsApp, novamente aproveitou a controvérsia no Brasil para se projetar ainda mais no mercado. O serviço de mensagens russo anunciou via Twitter que angariou cerca de 1 milhão de pessoas cadastradas, depois da suspensão do WhatsApp em todo o território nacional a partir das 14h da segunda-feira. Na outra ocasião em que a Justiça brasileira barrou temporariamente o rival, em dezembro do ano passado, o Telegram havia contabilizado mais de 1,5 milhão de novas contas. Além do Telegram, há outras opções seguras, como Viber, Facebook Messenger, WeChat e Line.

VPN – Além de serviços semelhantes ao WhatsApp, há outra possibilidade de continuar usando o aplicativo, porém, é preciso burlar o sistema da empresa por meio das chamadas VPNs (redes de acesso remoto). Com a instalação do aplicativo Better Net, os smartphones funcionam como se estivessem conectados na rede de outro país, o que permite o acesso ao WhatsApp utilizando internet 3G ou 4G.

No entanto, a medida, além de configurar uma ilegalidade, também não é recomendável, pois não garante a plena segurança e privacidade das mensagens. O VPN é uma rede privada e as empresas que oferecem essa alternativa podem monitorar ou rastrear os dados compartilhados nas conversas, diferente do que acontece no WhatsApp, ou mesmo no Telegram, onde as mensagens são criptografadas. Abaixo, as melhores opções:

(Da redação)