Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Vacinação contra Covid-19 começa na quarta, às 10h, diz Pazuello

Pazuello afirma que vacinação começará simultaneamente no país e diz que aplicação da primeira dose em São Paulo está 'em desacordo com a lei'

Por Giulia Vidale Atualizado em 22 fev 2021, 10h05 - Publicado em 17 jan 2021, 16h09

O Ministério da Saúde anunciou neste domingo, 17, que a vacinação do Covid-19 no Brasil terá início na quarta-feira, 20, às 10h. Para isso, a distribuição da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan com a Sinovac, começará a ser distribuída aos estados às 7h da segunda-feira, 18.

“Está dado o primeiro passo para o início da maior campanha de vacinação do mundo contra o coronavírus”, afirmou o ministro da Saúde , Eduardo Pazuello.

O anúncio foi feito logo após a aprovação do uso emergencial da CoronaVac e da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca pela Anvisa.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ressaltou que a imunização começará simultaneamente em todo o Brasil e criticou a aplicação da primeira dose em São Paulo. Segundo Pazuello, a aplicação da vacina na enfermeira Mônica Calazans, está “em desacordo com a lei”.

Neste domingo, 17, o Brasil registrou médias móveis de 54.165,4 novos casos confirmados e 947,7 mortes pela Covid-19.

“Poderíamos num ato simbólico ou numa jogada de marketing iniciar a primeira dose em uma pessoa, mas em respeito a todos os governadores, prefeitos e todos os brasileiros, o Ministério da Saúde não fará isso”, acrescentou o ministro, em clara crítica ao início da vacinação no estado de São Paulo, liderada pelo governador João Doria.

Segundo Pazuello, o acordo firmado com o Instituto Butantan prevê a entrega de todas as doses produzidas ou importadas pelo Instituto ao Ministério da Saúde. Atualmente, 6 milhões de doses da CoronaVac estão prontas para aplicação. O regime de administração da CoronaVac demandar a aplicação de duas doses para a imunização, o que significa que essa quantidade de doses atende  3 milhões de pessoas.

 

Continua após a publicidade
Publicidade