Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Sete fatos que talvez você não saiba sobre as estrias

As odiadas marquinhas são comuns principalmente entre as mulheres e carregam peculiaridades. Veja fatos que sobre elas que poderão ajudar a combatê-las

Por Da redação 7 fev 2017, 19h26

As estrias – linhas brancas, vermelhas ou roxas na pele – são comuns, mas odiadas pela maioria das pessoas que as têm. E, mesmo que você não odeie suas estrias, não é algo que costuma-se exibir. Por isso, quando a modelo Chrissy Teigen, casada com o cantor John Legend, publicou uma foto das linhas brancas na sua coxa e disse que gostava do desenho formado pelas estrias em sua pele, a imagem causou um rebuliço nas redes sociais, de acordo com informações da BBC Brasil.

As estrias, que em inglês também são chamadas de tiger stripes (algo como listras de tigre em tradução livre), ocorrem devido ao rompimento das fibras elástica da pele após um rápido estiramento. “É um rompimento do colágeno que é visível na superfície da pele”, descreveu Sweta Rai, da Associação Britânica de Dermatologistas, à rede britânica BBC. Inicialmente, as marcas são vermelhas ou roxas e, com o tempo, ganham um tom esbranquiçado.

Modelo Chrissy Teigen publica foto de suas estrias no Instagram
A modelo Chrissy Teigen publicou uma foto de suas estrias no Instagram Instagram/Reprodução

No entanto, as indesejadas – ao menos pela maioria das pessoas – marquinhas possuem algumas peculiaridades. A BBC Brasil listou sete aspectos das estrias que talvez você não conheça.

  1. Os homens também têm: Embora as estrias afetem majoritariamente as mulheres, os homens também podem desenvolvê-las. Em adolescentes, por exemplo, é comum o aparecimento de estrias nas costas, cobrindo a coluna com linhas horizontais. Entre aqueles que praticam fisiculturismo, podem aparecer nos ombros ou nos braços.
  2. Elas podem surgir em qualquer parte do corpo: Embora nas mulheres as estriam sejam mais comuns nas coxas, nádegas, abdômen, tórax e braços – áreas que tendem a armazenar gordura – as estrias podem aparecer em qualquer parte do corpo onde a pele foi muito esticada. Inclusive, há um tipo específico de estria causadas pela Síndrome de Cushing, uma doença rara onde as marcas são maiores e podem aparecer na face.
  3. Não aparecem só na gravidez: As estrias surgem quando a pele estica muito em um curto período de tempo. Sendo assim, podem aparecer durante o crescimento acelerado comum na adolescência, durante um rápido ganho de peso, após cirurgias de aumento de mamas ou nádegas e, é claro, na gravidez.
  4. Nem todas as grávidas têm:  A probabilidade de  uma mulher grávida desenvolver as marcas depende de fatores genéticos e do tamanho do crescimento da barriga. Sendo assim, mães de gestações múltipla são mais propensas a ter estrias e embora não sejam uma consequência inevitável da gravidez, afetam 90% das grávidas.
  5. Não há evidência de que é possível evitá-las: Embora existam muitos produtos no mercado que afirmam prevenir estrias, há pouca evidência científica sobre sua eficácia. Hidratantes não impedem a quebra do colágeno e, portanto, não podem prevenir o surgimento das estrias. No entanto, eles ao hidratar a pele deixando-a mais suave e macia, eles podem atenuar o aspecto da estria. Uma forma de prevenir o aparecimento das marcas é evitar o chamado efeito “iô-iô”, ou seja, ciclos rápidos de ganho e perda de peso.
  6. Algumas desaparecem; outras podem ser tratadas: A maioria das estrias tende a atenuar-se ao longo do tempo e algumas podem até desaparecer completamente. No entanto, caso isso não ocorra, é improvável que os cremes disponíveis no mercado tenham esse efeito. Por outro lado, caso as estrias sejam realmente um problema na sua vida, existem alguns tratamentos dermatológicos, como a terapia a laser, que podem ajudar a torná-las menos perceptíveis. Em casos mais graves ou quando o incômodo é muito grande, a cirurgia plástica pode ser uma alternativa. No entanto, até o momento, não existe nenhuma técnica cientificamente comprovada que acabe completamente com as estrias.
  7. Elas podem ter um  impacto emocional: As estrias, assim como outros “problemas” estéticos podem não ser um grande problema na vida da maioria das pessoas, mas especialistas recomendam não banalizar tais condições dermatológicas já que, para algumas pessoas, elas podem ter um forte impacto psicológico e emocional. Alguns pessoas se sentem socialmente isoladas, desenvolvem baixa autoestima e outros problemas ligados à imagem corporal por causa dessas marcas. Outras podem ficar particularmente vulneráveis em situações sociais onde as estrias estão visíveis, como na piscina, na praia ou no início de um relacionamento íntimo.
Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)