Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Pesquisa explica como relógio biológico interfere no risco de ataque cardíaco

Oscilação de determinada proteína pode alterar os batimentos cardíacos e causar uma arritmia, especialmente de manhã e à noite

Por Da Redação 24 fev 2012, 10h43

Um novo estudo publicado nesta quarta-feira na revista britânica Nature encontrou uma explicação para o fato de a morte súbita cardíaca ocorrer com maior frequência após uma pessoa acordar de manhã ou durante a noite. A pesquisa, feita por um grupo de cientistas de vários países, coordenado pela Faculdade de Medicina da Universidade Case Western Reserve, nos Estados Unidos, estabeleceu uma relação entre o ritmo circadiano, ou o relógio biológico, e os riscos de alteração do ritmo cardíaco.

Saiba mais

ARRITMIAS CARDÍACAS

São sequências de batimentos cardíacos irregulares, ou muito rápidos, ou muito lentos. As paredes musculares de cada uma das quatro cavidades do coração se contraem em um determinado ritmo para bombear o sangue para o corpo. Essa contração é controlada por uma corrente elétrica que percorre o coração e que é iniciada a cada batimento. A velocidade através da qual o marca-passo natural do coração descarrega essa corrente determina a frequência cardíaca. A causa mais frequente de arritmia é um doença cardíaca, principalmente a cardiopatia coronária e a insuficiência cardíaca. Consumo excessivo de álcool, tabagismo e alguns remédios podem provocar a taquicardia, ou seja, a arritmia de padrão rápido. As arritmias lentas, ou bradiarritmias, podem ser provocadas por dor, cansaço, fome ou problemas digestivos.

MORTE SÚBITA CARDÍACA

São mortes que ocorrem de maneira repentina, geralmente em decorrência de uma arritmia. O problema pode levar a um fraco desempenho cardíaco e, consequentemente, na fraca circulação sanguínea, na falta de sangue no cérebro e na perda de consciência. Ocorre especialmente nas primeiras horas do dia.

Os autores da pesquisa observaram a ação da Krüppel-like factor 15 (Klf15), uma proteína que controla o ritmo circadiano e a atividade das células musculares cardíacas. Durante o dia, os níveis de Klf15 oscilam, podendo reduzir ou aumentar o tempo que o músculo cardíaco tem para esvaziar os ventrículos, que são as câmaras do coração que bombeiam o sangue para todo o organismo. Esse intervalo, se for muito grande ou muito pequeno, pode resultar em ritmos cardíacos anormais, que é a chamada arritmia, a causa mais comum de morte súbita cardíaca.

Como o ritmo cardíaco anormal ocorre com mais frequência principalmente nas primeiras horas da manhã e também durante a noite, os pesquisadores explicaram algo que já é conhecido há algum tempo, ou seja, que nesses horários as chances de uma morte repentina ocorrer são maiores.

Para chegar a essas conclusões, foram estudados camundongos que não tinham a Klf15 e outros que tinham uma alteração genética que faziam com que seu organismo produzisse quantidades maiores do que o normal da proteína.

“Esse é o primeiro exemplo, embora ainda esteja no começo, de um mecanismo celular que pode alterar o ritmo circadiano e provocar arritmia cardíaca”, afirma Xander Wehrens, um dos autores do estudo. “Observamos que tanto a ausência quanto o excesso de Klf15 significam risco para arritmias”.

Os pesquisadores esperam que essa descoberta leve a novas ferramentas de diagnóstico e terapias para prevenir ou tratar a vulnerabilidade à morte súbita cardíaca em humanos. De acordo com os autores do estudo, um caminho possível seria investigar medicamentos que regulam e estabilizem os níveis de Klf15, especialmente nos momentos do dia quando a morte súbita é mais comum.

  • Causas e sintomas
  • Prevenção e tratamento

Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia do Hospital HCor. Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia do Hospital HCor. Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia do Hospital HCor. Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo

Quais são os principais problemas cardíacos?

Como se caracterizam os principais problemas cardíacos?

O que é mal súbito?

(Fabiano – Colombo/Paraná)

Quais são as principais causas dos problemas cardíacos?

Quais problemas cardíacos são congênitos?

Quais são os problemas congênitos mais comuns?

O sal ajuda a controlar a pressão arterial?

Por que hoje os problemas no coração são a causa número 1 de mortes?

Quem tem colesterol alto tem mais chances de sofrer problemas cardíacos?

(Paula Estevam – São Paulo – SP)

Quais sinais podem indicar problemas no coração?

  • Quais são os principais problemas cardíacos?
  • Como se caracterizam os principais problemas cardíacos?
  • O que é mal súbito?

    (Fabiano – Colombo/Paraná)

    Continua após a publicidade

  • Quais são as principais causas dos problemas cardíacos?
  • Quais problemas cardíacos são congênitos?
  • Quais são os problemas congênitos mais comuns?
  • O sal ajuda a controlar a pressão arterial?
  • Por que hoje os problemas no coração são a causa número 1 de mortes?
  • Quem tem colesterol alto tem mais chances de sofrer problemas cardíacos?

    (Paula Estevam – São Paulo – SP)

  • Quais sinais podem indicar problemas no coração?

Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo

A partir de que idade é preciso fazer exames e quais devem ser feitos?

(André Luis Silva, Caldas Novas – GO)

Quem é obeso deve procurar um cardiologista?

Que tipo de alimentação pode diminuir as chances de problemas cardíacos?

Quais os alimentos mais prejudiciais ao coração?

Como calcular corretamente a frequência cardíaca para a prática de exercícios físicos?

(Mel Falcão – Feira de Santana – BA)

Que tipo de cuidados as pessoas que já têm problemas cardíacos precisam ter?

Quem tem problemas cardíacos pode praticar esportes?

O que fazer para baixar ou aumentar a pressão arterial em situações de emergência?

Como ajudar uma pessoa que está sofrendo um ataque cardíaco?

  • A partir de que idade é preciso fazer exames e quais devem ser feitos?

    (André Luis Silva, Caldas Novas – GO)

  • Quem é obeso deve procurar um cardiologista?
  • Que tipo de alimentação pode diminuir as chances de problemas cardíacos?
  • Quais os alimentos mais prejudiciais ao coração?
  • Como calcular corretamente a frequência cardíaca para a prática de exercícios físicos?

    (Mel Falcão – Feira de Santana – BA)

  • Que tipo de cuidados as pessoas que já têm problemas cardíacos precisam ter?
  • Quem tem problemas cardíacos pode praticar esportes?
  • O que fazer para baixar ou aumentar a pressão arterial em situações de emergência?
  • Como ajudar uma pessoa que está sofrendo um ataque cardíaco?

*O conteúdo destes vídeos é um serviço de informação e não pode substituir uma consulta médica. Em caso de problemas de saúde, procure um médico.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês