Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Médicos realizam o primeiro transplante ‘emergencial’ de rosto do mundo

Procedimento, feito em hospital polonês, foi feito apenas três semanas depois de um homem de 33 anos ter sua face desfigurada em acidente de trabalho

Um homem de 33 anos recebeu um transplante de rosto apenas três semanas após ter a sua face desfigurada em um acidente de trabalho, informaram médicos poloneses nesta semana. Segundo especialistas do Instituto de Oncologia de Gliwice, localizado no sul da Polônia e onde o procedimento foi feito, é a primeira vez que esse tipo de cirurgia é realizado de maneira emergencial. Trata-se também do primeiro transplante de rosto feito no país.

O paciente perdeu parte do rosto no dia 23 de abril, quando operava uma serra de corte de pedras. Ele foi submetido a um tratamento intensivo no hospital de Wroclaw, cidade polonesa onde ocorreu o acidente, que conseguiu salvar a sua vida e sua visão. Porém, a tentativa de reimplantar toda a parte arrancada não deu certo, deixando parte da face exposta a infecções.

Como o paciente continuava correndo risco de vida devido ao tamanho e à profundidade da lesão, os médicos precisaram realizar outra intervenção para o transplante. Ele foi levado ao Instituto de Oncologia de Gliwice. O transplante de rosto foi feito no dia 15 de maio e durou 27 horas. De acordo com os médicos, a cirurgia reconstruiu a área em torno de seus olhos, nariz e maxilar. O Instituto informou que o doador era um homem de 34 anos.

Leia também:

Homem que recebeu transplante total de rosto faz aparição pública

Americano recebe transplante de face mais completo da história

Espanhol que recebeu transplante de rosto aparece em público pela primeira vez

De acordo com Adam Maciejewski, médico que coordenou a cirurgia, transplantes de rosto geralmente são o último recurso utilizado por especialistas, que geralmente recorrem a cirurgias reconstrutivas e plásticas em um primeiro momento. Assim, essa foi a primeira vez que esse tipo de transplante foi feito logo após o acidente.

Ainda segundo Maciejewski, o estado do paciente “permanece grave devido ao volume da intervenção, muito pesada”, mas ele já “respira de forma autônoma e se comunica com movimentos da cabeça e das mãos”. “O paciente poderá comer, respirar e enxergar. Em oito meses terá recuperado a plena motricidade de seu rosto”, diz.

A operação de Gliwice ocorre sete anos após o primeiro transplante de rosto do mundo, realizado em 27 de novembro de 2005 no Hospital Universitário de Amiens, na França.

(Com agência France-Presse)