Leite desnatado não evita ganho de peso entre crianças

Após avaliar mais de 10.000 crianças, pesquisa descobriu que, na verdade, eram as que estavam acima do peso aqueles que mais consumiam o leite com baixo teor de gordura

Por Da Redação - 19 mar 2013, 13h30

Substituir o leite de uma criança pelo tipo desnatado, com o objetivo de evitar que ela ganhe peso em excesso ao longo da infância, pode não surtir o efeito desejado. É o que concluiu um estudo da Universidade de Virginia, nos Estados Unidos. A pesquisa mostra que o efeito, na verdade, pode ser o inverso – após avaliarem mais de 10.000 crianças num período que se estendeu entre os dois e os quatro anos de idade, os autores do trabalho observaram que o consumo do leite desnatado era mais comum entre as que estavam acima do peso.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Longitudinal evaluation of milk type consumed and weight status in preschoolers

Onde foi divulgada: periódico Archieves of Disease in Childhood

Publicidade

Quem fez: Rebecca Scharf1, Ryan Demmer e Mark DeBoer

Instituição: Universidade de Virginia, EUA

Dados de amostragem: 10.700 crianças de dois e quatro anos

Resultado: Das 10.700 crianças avaliadas aos dois e quatro anos de idade, um terço aprsentou sobrepeso ou obesidade em algum desses dois momentos. A prevalência de consumo de leite desnatado foi maior entre crianças acima do peso, e a de consumo de leite integral, entre as de peso normal. Trocar o leite da criança pelo desnatado não parece influenciar na manutenção do peso.

Publicidade

As conclusões, publicadas nesta segunda-feira no periódico Archieves of Disease in Childhood, vão contra as recomendações de entidades médicas, como a Associação Americana de Pediatria, que sugerem que as crianças passem a tomar leite com baixo teor de gordura depois dos dois anos de idade. O objetivo da indicação é que elas reduzam a ingestão de gordura saturada e evitem o ganho de peso excessivo.

De acordo com os autores, as evidências que sustentam as recomendações médicas em relação ao leite são diferentes e não possuem uma conclusão comum. Para saber de que forma o consumo do leite afeta o ganho de peso em crianças, os pesquisadores selecionaram 10.700 participantes, que foram examinados duas vezes: quando tinham dois e quatro anos de idade. Os pais dessas crianças relataram se elas costumavam beber leite desnatado, semi-desnatado, integral ou de soja. Eles também informaram a equipe sobre outros hábitos alimentares de seus filhos.

Segundo os resultados da pesquisa, a prevalência de sobrepeso ou obesidade entre as crianças foi considerada alta nos dois momentos da pesquisa – os problemas afetaram cerca de um terço dos participantes tanto aos dois quanto aos quatro anos de idade.

Leite e peso – Além disso, os pesquisadores observaram que a prevalência do consumo de leite desnatado foi maior entre crianças acima do peso. Entre as crianças que apresentavam obesidade ou sobrepeso aos dois anos de idade, 14% costumavam beber leite desnatado, enquanto a bebida era consumida por apenas 9% das crianças da mesma faixa-etária que tinham peso normal. Aos quatro anos, essa prevalência foi de 16% entre crianças acima do peso e de 13% entre as de peso normal. Por outro lado, as crianças com sobrepeso ou obesidade bebiam menos leite integral, que tem maior teor de gordura, do que crianças com peso normal.

Publicidade

Os autores do estudo não encontraram diferenças significativas na média da tendência de ganho de peso entre crianças que bebiam leite desnatado, semi-desnatado ou integral. Para os pesquisadores, esse dado sugere que fazer com a criança passe a consumir apenas leite com baixo teor de gordura não é, de maneira geral, vantajoso. No entanto, é possível interpretar que o ganho de peso entre crianças com sobrepeso ou obesidade que tomavam leite desnatado poderia ser ainda maior caso elas consumissem o leite integral.

Os pesquisadores acreditam que uma possível explicação para essas conclusões seja o fato de a gordura presente no leite integral provocar maior saciedade, o que pode diminuir o apetite das crianças por outros alimentos calóricos e ricos em gordura. “As recomendações de controle de peso em crianças deveriam, em vez de enfatizar a substituição do leite pelo desnatado, dar mais atenção ao tempo da criança em frente à televisão, aos níveis de atividade física e a seu consumo de vegetais”, concluem os autores.

Publicidade