Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Gordura trans será banida dos EUA em três anos

Em comunicado, a FDA, agência americana que regula medicamentos e alimentos, deu um prazo de três anos para que os alimentos com gordura trans sejam retirados do mercado

Por Da Redação 16 jun 2015, 13h28

A FDA, a agência americana que regula medicamentos e alimentos, anunciou nesta terça-feira que os alimentos com gordura trans devem ser retirados do mercado em um prazo de três anos. “Os óleos vegetais parcialmente hidrogenados (PHO), principal fonte das gorduras trans nos alimentos processados, não são em geral considerados seguros para serem utilizados na alimentação humana”, afirmou a FDA em um comunicado.

Trata-se de uma gordura obtida a partir de um processo químico chamado hidrogenação. Por derivar de óleos vegetais, era considerada uma opção saudável na alimentação, mas estudos feitos a partir dos anos 1980 mostraram que a gordura é extremamente prejudicial à saúde. Ela aumenta o LDL (colesterol ruim) e diminui o HDL (colesterol bom) e, por isso, aumenta o risco de doenças cardiovasculares. A gordura trans está presente em frituras, em todos os alimentos que levam margarina, além de fast-food, bolachas e pipocas de micro-ondas.

LEIA TAMBÉM:

Gordura trans pode estar associada a comportamento agressivo e impaciência

Gordura trans pode ser banida nos Estados Unidos

Acredita-se que o organismo não sintetize essa gordura, o que faz com que ela se acumule no corpo. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que a gordura trans não ultrapasse 1% das calorias totais consumidas em um dia por uma pessoa. “Esta ação da FDA contra a maior fonte artificial de gorduras trans demonstra o compromisso da agência com a saúde cardíaca dos americanos”, destacou o comissário Stephen Ostroff ao anunciar a medida.

O cerco à gordura trans começou a se fechar no fim de 2013, quando a FDA anunciou que planejava baní-la definitivamente dos cardápios. Só agora, contudo, divulgou as regras finais e deu o prazo de três anos para que a indústria alimentícia se adeque. Desde 2006 os fabricantes destes produtos nos Estados Unidos eram obrigados a incluir informações nos rótulos com advertências claras aos consumidores sobre o uso deste tipo de gordura. A medida da FDA deve evitar 20 000 infartos e 7 000 mortes por doenças do coração a cada ano nos EUA.

(com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade