Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Farmácias registram novo pico de casos positivos de Covid-19

Índice de infecções acima dos 30% é o maior registrado desde janeiro deste ano; população deve se imunizar com dose bivalente

Por Diego Alejandro
Atualizado em 16 out 2023, 18h23 - Publicado em 16 out 2023, 18h20

Depois de uma longa estagnação, o percentual de casos positivos de Covid-19 detectados por testes rápidos de farmácia ultrapassou os 30% na primeira semana de outubro, maior patamar desde janeiro.

Segundo a Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias), dos 7.061 exames rápidos realizados entre 3 e 9 de outubro, 2.304 tiveram diagnóstico positivo para o novo coronavírus – pouco mais de 32% dos atendimentos -. Ao longo de agosto, o índice médio de exames positivos girou em torno de 13% a 17%, mas já saltou para 27% no fim de setembro.

Oito estados puxaram os resultados, todos com percentuais superiores a 30% nos últimos 15 dias registrados: Espírito Santo (37,97%), Paraná (35,71%), Rio de Janeiro (33,6%), Distrito Federal (33,51%), Rio Grande do Sul (33,18%), São Paulo (31,99%), Santa Catarina (31,75%) e Mato Grosso do Sul (30,21%).

“Os dados reforçam a necessidade de o poder público redobrar atenção não apenas com a circulação da Éris, subvariante da ômicron”, afirma Sergio Mena Barreto, CEO da Abrafarma.  “Também é fundamental um esforço para ampliar os níveis de aplicação da vacina bivalente, ainda na casa dos 15%”.

Continua após a publicidade

Aumento da Covid-19

O Boletim InfoGripe da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), divulgado na última quarta-feira, 11, aponta manutenção de sinal de crescimento do número de novos casos semanais de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) associados à Covid-19, especialmente nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul. A pesquisa é referente à semana epidemiológica 40, de 1° a 7 de outubro.

Os estados que apresentam aumento nas internações por Covid-19 e requerem mais atenção são Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Distrito Federal. Em relação às capitais, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo indicam crescimento em decorrência da doença.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.