Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Coronavírus: presidente do Albert Einstein fala a VEJA sobre o 1º caso

"Ele está sendo acompanhado diariamente por uma equipe e por enquanto não há razão para retorno ao hospital", diz Sidney Klajner, em entrevista exclusiva

Por Mariana Rosário 27 fev 2020, 15h55

Em entrevista exclusiva, Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, fala do papel do hospital no tratamento da primeira infecção por coronavírus registrada no Brasil

Por que o hospital optou por isolar o primeiro paciente confirmado com o novo coronavírus e não o deixou internado?
O hospital seguiu todos os protocolos de segurança recomendados pelo Centers of Disease Control, dos Estados Unidos, da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde. Todos determinam a internação somente em casos nos quais o paciente apresente condições clínicas que exijam maiores cuidados, como a instalação de pneumonia decorrente da infecção. O paciente se encontra clinicamente bem e permanece em isolamento respiratório domiciliar.

  • Como funciona o isolamento do paciente? Há algum tipo de monitoramento do hospital?
    Ele está sendo acompanhado diariamente por uma equipe do hospital por meio de contatos frequentes por telefone e mensagens. Por enquanto, não há razão para retorno ao hospital.

    Houve a necessidade de algum tipo de adaptação do hospital para a chegada do coronavírus?
    O hospital começou a se preparar desde o início da epidemia, na China. Entre outras medidas, houve a alocação de 12 leitos de isolamento respiratório, com pressão negativa (não permitem a saída de ar do quarto para outros ambientes). Além disso, os colaboradores de todas as áreas estão sendo treinados há dois meses para que executem suas funções de forma segura e para que obedeçam as regras que garantam a segurança em todos os ambientes das unidades de atendimento. Os treinamentos são extensivos às unidades públicas gerenciadas pelo Einstein.

    Os profissionais do hospital que entraram em contato com o paciente de diagnóstico positivo passam por algum tipo de monitoramento ou seguem trabalhando normalmente?
    Todos passaram pelo teste para coronavírus, que resultaram negativo. Estão trabalhando normalmente.

    Continua após a publicidade
    Publicidade