Clique e assine a partir de 9,90/mês

Coronavírus: Bolsonaro decreta academia e salões como serviços essenciais

Deste modo, profissionais dessas atividades poderiam retornar ao trabalho na quarentena; entretanto, decisão depende de crivo de Estados e Municípios

Por Da Redação - Atualizado em 11 May 2020, 21h00 - Publicado em 11 May 2020, 20h19

O presidente da República, Jair Bolsonaro, incluiu salões de cabeleireiro, barbearias e academias como serviços essenciais durante esta pandemia do novo coronavírus. O decreto foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União desta segunda-feira, 11.

Isso quer dizer que, na perspectiva do Planalto, esses serviços podem funcionar durante as restrições de isolamento social em todo o país. A decisão final sobre o que deve ou não abrir, no entanto, deve passar pelo crivo dos Estados e Municípios, conforme decidiu o Supremo Tribunal Federal (STF), em abril.

Há também a liberação para a construção civil e atividades industriais.

Nesta tarde, o Ministro da Saúde, Nelson Teich, foi questionado sobre a inclusão dos serviços na lista das atividades essenciais e disse que a decisão foi tomada pelo presidente e que não era atribuição da pasta de Saúde.

Continua após a publicidade

Já o presidente Jair Bolsonaro falou sobre o assunto no Palácio do Planalto: “Coloquei hoje, porque saúde é vida: academias, salão de beleza e cabeleireiro, também. Higiene é vida. Essas três categorias ajudam mais de um milhão de empregos”, disse.

ASSINE VEJA

Quarentena em descompasso Falta de consenso entre as autoridades e comportamento de risco da população transforma o isolamento numa bagunça. Leia nesta edição
Clique e Assine

 

Publicidade