Clique e assine a partir de 9,90/mês

Conheça os benefícios do sexo oral na mulher (para ambos)

De acordo com os cientistas, algumas espécies de bactérias da vagina podem fazer bem para a saúde de quem o pratica

Por Da Redação - Atualizado em 14 set 2017, 09h24 - Publicado em 12 set 2017, 17h36

Não é segredo que os probióticos, bactérias benéficas, encontradas em queijos, iogurtes e leites fermentados são aliadas da saúde. Agora, um estudo pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, indica que esses micro-organismos também podem ser obtidos por uma inusitada fonte: o sexo oral na mulher. 

De acordo com os pesquisadores, cerca de 70% do fluido vaginal é composto por lactobacilos, espécies de bactérias que fazem bem para a saúde do intestino – ajudando na digestão e melhorando a absorção de nutrientes, por exemplo. Normalmente, esses probióticos são encontrados em alimentos e suplementos.

Bactérias do bem

Os lactobacilos produzem ácido lático, que ajuda a manter a acidez da vagina (pH 4,5). Segundo os cientistas, a secreção vaginal pode conter cinco espécies que possuem potencial probiótico: Lactobacillus crispatus, Lactobacillus jensenii, Lactobacilus iners, Lactobacillus gasseri e Lactobacillus reuteri.

Desvantagens

Os probióticos permanecem no corpo apenas quando consumidos regularmente. Além disso, a flora vaginal de cada mulher, pode variar entre quantidades e espécies. Por isso, apesar das propriedades benéficas, seria preciso uma grande quantidade de secreção para as bactérias surtirem efeito no organismo.

Continua após a publicidade

Segundo Helena Mendes Soares, especialista em microbioma humano do Instituto de Pesquisa Mayo Clinic, nos Estados Unidos, uma pessoa teria que ingerir, diariamente, entre 10 gramas e 10 quilos fluido (um grama equivale entre 100.000 e 100 milhões de células de lactobacilos, dependendo da mulher), para repor as bactérias.

Outro ponto negativo é que se esses micro-organismos ‘do bem’ podem ser transmitidos, os prejudiciais também podem. “Durante o sexo oral, além dos lactobacilos, a transmissão de bactérias patológicas e doenças sexualmente transmissíveis também ocorre”, disse Helena em entrevista à Broadly.

Orgasmo

Além da questão nutricional para quem faz, sexo oral também faz bem para a saúde de quem recebe. O orgasmo feminino traz benefícios tanto a saúde física quanto a mental: libera oxitocina, dopamina e endorfinas, que melhoram o humor e podem aliviar dores, como cãibras.

Além do intestino

O papel dos probióticos no organismo é um assunto cada vez estudado por pesquisadores. Já existem evidências científicas de que essas bactérias ajudam no combate a problemas gastrointestinais, síndrome do intestino irritável, diarreia causada por antibióticos e até mesmo no controle do colesterol. No entanto, mais pesquisas precisam ser feitas para comprovar essas hipóteses.

Publicidade