Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Cirurgia comum no joelho pode causar artrose e perda de cartilagem

Em estudo, 100% dos joelhos operados de lesão no menisco desenvolveram osteoartrite até um ano depois do procedimento

Por Da Redação 3 dez 2014, 10h32

A operação para reparar lesão no menisco, um problema comum no joelho, pode aumentar o risco de artrose, também conhecida como osteoartrite, e de perda de cartilagem. Essa é a revelação de uma pesquisa apresentada nesta quarta-feira no encontro anual da Sociedade Americana de Radiologia, nos Estados Unidos. De acordo com os estudiosos, a descoberta sugere que a decisão de operar o paciente deve ser tomada com cautela.

O menisco é uma cartilagem localizada no joelho responsável pelo amortecimento entre o fêmur e a tíbia. Ele também desempenha um papel importante na estabilidade do corpo. “A cirurgia de menisco é um dos procedimentos ortopédicos mais comuns para aliviar dor e melhorar a função das juntas”, afirma o médico Frank Roemer, da Escola de Medicina da Universidade de Boston e da Universidade de Erlangen-Nuremberg, na Alemanha. “No entanto, evidências crescentes têm mostrado que essa operação pode ser prejudicial para a articulação do joelho.”

Os pesquisadores analisaram exames de ressonância magnética de 355 joelhos ao longo de cinco anos: 31 foram operados por lesão no menisco, 280 apresentavam lesão no menisco, mas não foram operados, e o restante não tinha lesão. Nos três grupos, os cientistas analisaram os riscos de desenvolvimento de artrose e de perda de cartilagem.

Leia também:

Médicos descobrem novo ligamento do joelho

Continua após a publicidade

Pesquisadores brasileiros desenvolvem tratamento pioneiro com células-tronco para artrose no joelho

“Nós descobrimos que os pacientes sem osteoartrite que foram operados tiveram um risco muito maior de desenvolver a doença e perda de cartilagem no período de um ano do que aqueles que não passaram por cirurgia”, afirma Roemer.

Estudo – Todos os 31 joelhos operados de lesão no menisco desenvolveram osteartrite em até um ano, comparados com 165 (59%) dos joelhos com a mesma lesão que não passaram por cirurgia. Além disso, a perda de cartilagem foi muito maior nos joelhos que entraram na faca: 80,8% deles sofreram do problema, ante 39,5% dos que tinham lesão no menisco, mas não foram operados.

Uma opção à operação seria fazer fisioterapia para manter e recuperar a força do músculo e os movimentos. Tratamento com aplicação de gelo e remédios anti-inflamatórios não esteroides podem aliviar os sintomas.

“As indicações de cirurgia no menisco precisam ser discutidas com mais cuidado para evitar a degeneração acelerada das juntas”, diz Roemer.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)