Clique e assine a partir de 8,90/mês

Buscas no Google por ‘vacina contra o coronavírus’ disparam no país

O Brasil se tornou o segundo país que mais buscou pelo termo em 24 horas, somente atrás do Uruguai

Por Giulia Vidale - Atualizado em 13 Maio 2020, 19h31 - Publicado em 13 Maio 2020, 11h24

O interesse por buscas no Google por “vacina contra o coronavírus” disparou na terça-feira 12 no Brasil. De acordo com um levantamento exclusivo da plataforma, a que VEJA teve acesso, o interesse dos brasileiros na expressão aumentou 160% na terça-feira, em comparação com os dados de segunda-feira, 11. Com a alta, o Brasil se tornou o segundo país que mais buscou pelo termo vacina entre segunda, 11, e terça-feira, 12, atrás somente do Uruguai.

Ainda segundo o levantamento da plataforma, as perguntas mais buscadas sobre “vacina” e “coronavírus”, no período foram:

– Como anda a vacina contra a covid?
– Quando vai acabar o coronavírus?
– Quando a vacina contra o coronavírus vai estar pronta?
– Já existe vacina contra o coronavírus?
– Quando sai a vacina contra o coronavírus?

Esse aumento no interesse por informações sobre “vacina contra coronavírus” aconteceu após o ministro da Saúde Nelson Teich dizer que o Brasil deve participar dos testes da vacina de Oxford. Além disso, a aprovação de um imunizante é apontada como a única forma de acabar com a pandemia de Covid-19 e voltar à vida normal rapidamente.

LEIA TAMBÉM: Quem deve tomar a vacina da gripe na terceira fase da campanha de 2020

A vacina em desenvolvimento pela universidade britânica é considerada uma das mais promissoras. Testes em macacos mostraram que o imunizante é capaz de induzir a produção de anticorpos que protegem da infecção pelo novo vírus. Agora, é necessário ver se esses resultados irão se repetir em humanos.

ASSINE VEJA

Quarentena em descompasso Falta de consenso entre as autoridades e comportamento de risco da população transforma o isolamento numa bagunça. Leia nesta edição
Clique e Assine

Os testes clínicos fase 1 em humanos, que avaliam a segurança da vacina, já começaram. Em seguida, será testada a eficácia. Ou seja, se a vacina é capaz de oferecer proteção contra a Covid-19. Se sim, a universidade já está em parceria com a farmacêutica britânica AstraZeneca para produzir milhões de doses até o final do ano.

Em uma corrida global inédita, mais de 100 vacinas contra o coronavírus estão em desenvolvimento,de acordo com o último relatório publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Dessas, oito já estão na fase de testes em humanos: quatro da China, uma da Inglaterra, duas dos Estados Unidos e uma da União Européia. A lista também inclui 100 vacinas na fase pré-clínica, o que significa que elas ainda estão sendo testadas em tubos de ensaio ou em animais. A versão anterior da lista da OMS, publicada em 20 de abril, tinha cinco vacinas na fase de testes em humanos e 71 na avaliação pré-clínica.

 

Continua após a publicidade
Publicidade