Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Brasil tem primeiro caso confirmado da Éris, nova sublinhagem da ômicron

Registro ocorreu no estado de São Paulo em mulher de 71 anos; Ministério da Saúde recomenda que população mantenha imunização contra a Covid em dia

Por Paula Felix Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 18 ago 2023, 17h08 - Publicado em 18 ago 2023, 12h53

O primeiro caso de infecção pela Éris, a nova sublinhagem da ômicron — causadora da Covid-19 —, foi registrado no estado de São Paulo em uma paciente de 71 anos. A confirmação foi feita na noite de quinta-feira 17 pelo Ministério da Saúde, que informou que a idosa, já curada, tem o esquema vacinal completo. A pasta convoca a população a manter a caderneta de imunização atualizada.

Segundo o ministério, a paciente apresentou sintomas de febre, tosse, fadiga e dor de cabeça em 30 de julho e fez exames laboratoriais no último dia 8.

A sublinhagem EG.5 da Covid-19 tem sido acompanhada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) por estar elevando o número de casos da doença nos Estados Unidos e no Reino Unido. Na semana passada, a entidade informou que 51 países reportaram sequências genômicas da Éris e que a maioria se concentra na China.

Por mais que esteja se espalhando, há indícios de que a nova sublinhagem não deve causar aumento em hospitalizações e óbitos no mundo. “Com base nas evidências disponíveis, o risco à saúde pública representado por EG.5 é avaliado como baixo em nível global. Embora tenha mostrado maior prevalência, vantagem de crescimento e propriedades de escape imune, não houve alterações relatadas na gravidade da doença até o momento”, informou a OMS.

Continua após a publicidade

No Brasil, a recomendação do Ministério da Saúde e da Sociedade Brasileira de Infectologia é de manter o esquema vacinal atualizado. No entanto, a campanha ainda patina. Dados oficiais apontam que apenas 15,4% da população adulta procurou os postos de saúde para receber a dose da vacina bivalente, que protege contra a cepa original do SARS-CoV-2 e a variante de preocupação ômicron.

“A recomendação da vacinação como principal medida de combate à Covid-19 se torna cada vez mais importante, com atualização das doses de reforço para prevenção da doença”, diz, em nota, o ministério. “Desde o fim da emergência, decretado pela OMS em maio deste ano, ainda se mantém a recomendação para que os grupos de maior risco de agravamento pela doença continuem a seguir as medidas de prevenção e controle não farmacológicas, incluindo o uso de máscara em locais fechados, mal ventilados ou aglomerações, além do isolamento de pacientes infectados com o vírus SARS-CoV-2. A recomendação também vale para pessoas com sintomas gripais”, completa.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.