Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Vaccari vai depor por videoconferência no caso Bancoop

Por Da Redação 20 abr 2015, 20h38

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba (PR), autorizou na última sexta-feira o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, preso preventivamente na Operação Lava Jato, a participar de audiências da Justiça paulista relativas ao escândalo da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo). A juíza Tatiana Vieira Guerra, da 5ª Vara Criminal de São Paulo, pediu a Moro que o petista acompanhe as audiências – Vaccari é um dos réus no processo criminal. Ele será interrogado no dia 7 de maio, por videoconferência, em uma sala da Justiça Federal na capital paranaense. O caso Bancoop foi usado como justificativa para a prisão preventiva de Vaccari na Operação Lava Jato. Segundo o Ministério Público Federal, as evidências do escândalo da Bancoop anexadas ao processo da Lava Jato mostram que o petista pratica corrupção e desvia dinheiro há mais de 10 anos – o que ele nega. De acordo com os promotores, o dinheiro da cooperativa abasteceu cofres do PT. Milhares de cooperados nunca receberam as chaves dos apartamentos da Bancoop. Vaccari e mais cinco dirigentes respondem por formação de quadrilha, estelionato, falsidade ideológica e crime de lavagem de dinheiro. O ex-tesoureiro do PT foi detido na quarta-feira passada, na 12ª fase da Operação Lava Jato. Nesta segunda-feira, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, negou pedido de liberdade em seu favor. Vaccari teve seu recurso rejeitado, de forma cautelar, pelo desembargador federal João Pedro Gebran Neto. O mérito do pedido de habeas corpus deve ainda ser analisado pela 8ª Turma da mesma corte. (Felipe Frazão, de São Paulo)

Em VEJA: Vaccari, o homem dos presidentes

Lava Jato: cunhada de Vaccari depõe e nega ‘central de propinas’

Publicidade