Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

TSE diz à Defesa que aceita divulgar dúvidas dos militares sobre eleições

Ofício assinado pelo presidente da Corte, ministro Edson Fachin, diz que não há 'qualquer objeção' com relação a tornar os documentos públicos

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2022, 21h17 - Publicado em 6 Maio 2022, 21h12

Em resposta ao Ministério da Defesa, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) afirmou nesta sexta-feira, 6, que não se opõe a divulgar quais foram os questionamentos das Forças Armadas a respeito do sistema eleitoral. O ofício foi assinado pelo presidente da Corte, ministro Edson Fachin, e endereçado ao general Paulo Sérgio Nogueira, chefe da pasta.

“Noticio que os documentos remetidos pelo Ministério da Defesa ao Tribunal Superior Eleitoral podem ser colocados ao pleno conhecimento público, sem que haja qualquer objeção por parte da corte eleitoral”, afirmou Fachin, que lembrou que alguns documentos foram classificados pelo próprio ministério como reservado e que estes podem ser mantidos em sigilo por até cinco anos.

“Cumpre-me aclarar que os documentos produzidos pela CTE (Comissão de Transparência das Eleições), a saber, a sua portaria constitutiva e alteradora, o relatório compilado de sugestões de seus integrantes e o plano de ação para ampliação da transparência do processo eleitoral, resposta aos primeiros ofícios encaminhados pelo Ministério da Defesa, foram devidamente publicizados por este tribunal”, acrescentou o ministro.

Sobre o material classificado como reservado, Fachin enviou outro ofício ao comandante de Defesa Cibernética do Exército Brasileiro, general Heber Garcia Portella, para que ele esclareça a necessidade ou não de sigilo sobre esses documentos.

Na quinta-feira 5, o ministro da Defesa enviou um ofício ao TSE pedindo que as perguntas feitas pelas Forças Armadas sobre as eleições deste ano fossem divulgadas. No ano passado, os militares foram convidados, pela própria Corte, a integrar a comissão de transparência. No mesmo dia, o presidente Jair Bolsonaro, que ataca sistematicamente o sistema eletrônico de votação, afirmou que seu partido, o PL, contrataria uma empresa privada para fazer auditoria do pleito.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)