Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

TJ nega liberdade a Sininho e outros dois ativistas

Desembargadores negaram pedido de habeas corpus em favor de baderneiros acusados de envolvimento em protestos violentos

Os desembargadores da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio negaram na tarde desta terça-feira, por dois votos a um, o pedido de habeas corpus em favor de Elisa Quadros, conhecida como Sininho, e outros dois black blocs acusados de envolvimento em protestos violentos: Igor Mendes da Silva e Karlayne Moraes. Eles tiveram as prisões preventivas decretadas há duas semanas pelo juiz Flávio Itabaiana, da 7ª Vara Criminal.

Leia também:

Traição amorosa de Sininho ajudou polícia a prender black blocs

O desembargador Siro Darlan, presidente da 7ª Câmara Criminal, votou a favor do habeas corpus. Os desembargadores Sidney Rosa da Silva e Maria Angélica Guimarães se manifestaram contrários. Dos três ativistas, somente Igor Mendes está preso: Sininho e Karlayne são consideradas foragidas.

Com prisão preventiva decretada há duas semanas, Sininho ainda é considerada foragida. Também nesta terça-feira está sendo realizada a audiência de instrução do processo em que 23 envolvidos em atos de vandalismo são acusados de planejar ações violentas em protestos. Pelo menos seis testemunhas de acusação devem ser ouvidas neste primeiro dia. Entre os 23, estão Caio Silva e Fábio Raposo, apontados por Polícia Civil e Ministério Público como os responsáveis pela morte do cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Andrade, atingido por um rojão durante protesto em fevereiro deste ano.

(Com Estadão Conteúdo)