Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Sucinto, Temer diz desconhecer esquema de corrupção na Caixa

O presidente limitou-se a responder 'não' para oito perguntas formuladas pelo ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

Por Da Redação 18 jul 2017, 20h09

O presidente Michel Temer (PMDB) respondeu nesta terça-feira às 22 questões formuladas pelo ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no processo que investiga um suposto esquema de corrupção na Caixa Econômica Federal para viabilizar a liberação de recursos do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS). Temer foi sucinto ao prestar esclarecimentos como testemunha de defesa e limitou-se a responder “não” para oito questionamentos.

Temer respondeu por escrito às perguntas. O presidente disse não ter conhecimento do esquema de corrupção na Caixa. Ele também nega ter ciência de doações ilegais para as campanhas políticas do PMDB. “Não tenho conhecimento de recebimento de qualquer vantagem indevida. As empresas que doaram fizeram-no oficialmente”, afirmou.

O presidente afirmou, ainda, que recebe muitos empresários e não se recorda do nome de todos eles. Temer, por fim, disse que não participou da arrecadação de fundos para a campanha de Gabriel Chalita (PMDB) à Prefeitura de São Paulo, em 2012. O presidente foi citado em delação como responsável por negociar o pagamento de propina para a candidatura de Chalita.

Confira as respostas de Michel Temer às perguntas feitas por Eduardo Cunha:

Cunha: Vossa Excelência foi presidente do PMDB em que período?
Temer: De 2001 a 2015, com vários períodos de licenciamento.

Cunha: Vossa Excelência foi apontado como o responsável pela nomeação do senhor Moreira Franco para a vice-presidência da Caixa de fundos e loterias. O senhor era presidente do PMDB à época? Quando foi isso?
Temer: A indicação do senhor Moreira Franco foi feita pelo PMDB, no período da minha presidência, durante o governo do presidente Lula.

Cunha: Em 2010, Moreira Franco teve de deixar a Caixa para ocupar a representação do PMDB na coordenação da campanha presidencial. Vossa Excelência indicou o então gerente de Moreira, Joaquim Lima, como seu substituto?
Temer: Não.

Cunha: Vossa Excelência conheceu o senhor André da Souza, representante até 2012 no conselho FI/FGTS dos trabalhadores ou do PT?
Temer: Recebi muitos empresários, acompanhados de diversos agentes políticos, não me recordando o nome de todos.

Cunha: Vossa Excelência fez alguma reunião para tratar de pedidos para financiamento com FI/FGTS, junto de Moreira Franco e André de Souza? Se sim, quando? Com quem?
Temer: Reporto-me à resposta anterior.

Cunha: Vossa Excelência conhece Benedicto Júnior e Léo Pinheiro?
Temer: Conheço Léo Pinheiro [ex-presidente da OAS]. Quanto a Benedicto Júnior, não é improvável que ele tenha estado com pessoas que me visitaram.

Cunha: Vossa Excelência participou de alguma reunião com eles e Moreira Franco para doação de campanha para os pleitos eleitorais de 2010, 2012 ou 2014?
Temer: Com Leó Pinheiro, que colaborou com a campanha de vários candidatos do PMDB em todo o Brasil, sim.

Cunha: Se a resposta for positiva, estava vinculada a alguma liberação do FI-FGTS?
Temer: Não.

Cunha: André de Souza participou de alguma dessas reuniões?
Temer: Reporto-me às respostas anteriores.

Continua após a publicidade

Cunha: Onde se deram essas reuniões?
Temer: Com relação ao tema “doações de campanha”, as reuniões geralmente ocorriam nos meus locais de trabalho.

Cunha: Joaquim Lima continuou como vice-presidente da Caixa, em outra área, a partir de 2011. Quem foi o responsável pela sua manutenção?
Temer: Não sei, pois não o conhecia à época.

Cunha: Vossa Excelência conheceu Fábio Cleto?
Temer: Não.

Cunha: Teve alguma participação na sua nomeação?
Temer: Não.

Cunha: Houve interferência do então prefeito Eduardo Paes visando à aceleração do projeto Porto Maravilha para as Olimpíadas?
Temer: Não tenho conhecimento.

Cunha: Vossa Excelência teve conhecimento de alguma vantagem indevida, seja à época de Moreira Franco, seja posteriormente, para liberação de financiamento do FI-FGTS?
Temer: Não.

Cunha: Vossa Excelência conhece Henrique Constantino? Esteve alguma vez com ele? Qual foi o tema? Tinha a ver com algum assunto ligado ao financiamento do FI-FGTS?
Temer: Conheço, mas este tema nunca foi tratado.

Cunha: A denúncia trata da suspeita do recebimento de vantagens indevidas do consórcio Porto Maravilha (OAS, Carioca e Odebrecht), da Haztec, da Aquapolo e Odebrecht Ambiental, Saneatins, Eldorado Participações (Grupo JBS), Lamsa (Linha Amarela S.A.), Brado, Moura Debeux, BR Vias. Vossa Excelência tem conhecimento, como presidente do PMDB até 2016, se essas empresas fizeram doações a campanhas do PMDB? Se sim, de que forma?
Temer: Não tenho conhecimento de recebimento de qualquer vantagem indevida. As empresas que doaram fizeram-no oficialmente.

Cunha: Alguma delas fez doação para a campanha de Gabriel Chalita em 2012?
Temer: Não acompanhei a arrecadação da campanha de Gabriel Chalita.

Cunha: Se positiva a resposta, houve a sua participação? Estava vinculada à liberação desses recursos da Caixa no FI-FGTS?
Temer: Prejudicada em razão da resposta anterior.

Cunha: Como vice-presidente da República desde 2011, Vossa Excelência tem conhecimento da participação de Eduardo Cunha em algum fato vinculado a essa denúncia de cobrança de vantagens indevidas para liberação de financiamentos do FI-FGTS?
Temer: Não.

Cunha: Vossa Excelência tem conhecimento de algum pagamento de vantagem indevida pelo senhor Benedicto Junior a Moreira Franco para liberação de financiamento do FI-FGTS à Odebrecht Transportes para associação no Porto de Santos?
Temer: Não.

Cunha: Vossa Excelência tem conhecimento de qualquer vantagem indevida solicitada ou recebida pelo senhor Moreira Franco para liberação, no âmbito do FI-FGTS, em qualquer projeto, incluindo o Porto Maravilha?
Temer: Não.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês