Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Senado aprova convocação de ministro para falar sobre laranjal do PSL

Pedido do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi aprovado por comissão, e auxiliar de Bolsonaro será obrigado a comparecer; ele recusara três convites

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, foi convocado nesta terça-feira, 8, por uma comissão do Senado para prestar esclarecimentos sobre o uso de candidaturas laranjas do PSL nas eleições de 2018 em Minas Gerais, quando ele disputou – e obteve – uma vaga na Câmara dos Deputados. A convocação, feita pela Comissão de Fiscalização, Controle e Defesa do Consumidor, foi aprovada após requerimento apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). A data prevista para sua audiência é 22 de outubro.

O ministro já havia se recusado três vezes a falar sobre o assunto, mas na condição de convidado – desta vez, como foi convocado, ele terá de ir obrigatoriamente ao Senado falar sobre o episódio, que começa a respingar no presidente Jair Bolsonaro. Reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo no domingo 6 mostra que o depoimento de um assessor de Álvaro Antônio e uma planilha apreendida pela Polícia Federal mostram que parte do dinheiro desviado de falsas candidaturas femininas foi usado na campanha presidencial.

Nas duas vezes em que foi questionado publicamente por jornalistas sobre o tema, Bolsonaro evitou responder. Na manhã desta terça-feira, ao cochichar no ouvido de um apoiador na porta do Palácio do Alvorada, disse: “Esqueça o PSL, ok?”. O fã do presidente havia dito que seria candidato a vereador em Recife pelo PSL. A fala foi interpretada como uma sinalização de que Bolsonaro deverá deixar o partido.

“Bolsonaro quer se desvencilhar do PSL por qual motivo? Ninguém irá esquecer o laranjal do PSL, nem Queiroz e nem o ministro indiciado pela PF”, disse Randolfe Rodrigues após ter seu pedido aprovado – ele fez referência também ao motorista Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, investigado pela prática de “rachadinha” no gabinete do filho do presidente quando ele era deputado estadual. “Convocamos e agora iremos aguardar o ministro Álvaro Antônio aqui no Senado para prestar esclarecimentos sobre o PSL de Bolsonaro”, completou.