Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rubens Vieira é convidado para falar no Senado

Irmão de Paulo Vieira, apontado como chefe do bando que fazia tráfico de influência em órgãos federais, será convidado pela Comissão de Infraestrutura

A Comissão de Infraestrutura do Senado aprovou nesta quarta-feira convite ao diretor de Infraestrutura Aeroportuária da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Rubens Vieira, envolvido em esquema de tráfico de influência no governo federal, a prestar esclarecimentos aos parlamentares. Rubens foi preso na Operação Porto Seguro, deflagrada na sexta-feira passada, e está afastado do cargo. Ele é irmão de Paulo Vieira, diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), apontado como chefe da quadrilha. Assim como Rubens, Paulo está preso e afastado do cargo.

Rubens Vieira é o primeiro entre as peças-chave do esquema a ter requerimento aprovado para falar no Congresso. O governo manobra para evitar que os irmãos Vieira, a ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo, Rosemary Nóvoa de Noronha e o número dois da Advocacia-Geral da União (AGU) José Weber Holanda, que também caíram com o escândalo, sejam chamados para falar no Congresso.

Por não se tratar de autoridade do governo, Vieira não poderia ser convocado, mas apenas convidado a prestar informações aos senadores. Se optar por comparecer para falar do esquema e de sua atuação à frente da diretoria da Anac, Vieira poderá ir ao Senado já na próxima semana, quando a Casa deverá iniciar sequência de audiências com autoridades sobre o caso.

Leia também:

Leia também: A carreira meteórica de Rubens Vieira na era Lula

Rubens Vieira é apontado pela Polícia Federal como um das peças-chave do esquema criminoso de venda de pareceres e tráfico de influência em órgãos federais e agências reguladoras. Vieira foi indicado para o cargo por Rosemary.

Ministros – Comissões do Senado e da Câmara aprovaram também convites aos ministros Luís Inácio Adams (Advocacia Geral da União) e José Eduardo Cardozo (Justiça), e ao presidente da Anac, Marcelo Guaranys, que devem falar aos parlamentares na semana que vem.

Nesta quarta, já haviam sido aprovados requerimentos para que Cardozo e Adams falassem à Comissão de Constituição e Justiça do Senado. De acordo com o líder do governo, Eduardo Braga, a proposta é que Cardozo preste depoimento às 11 horas da próxima quarta-feira. Adams falará em seguida. Como o requerimento foi aprovado, nesta terça-feira, também na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização (CMA), a audiência ocorrerá em conjunto, com presidência da CCJ.