Clique e assine com 88% de desconto

Rubens Vieira é convidado para falar no Senado

Irmão de Paulo Vieira, apontado como chefe do bando que fazia tráfico de influência em órgãos federais, será convidado pela Comissão de Infraestrutura

Por Tai Nalon, de Brasília - 28 nov 2012, 16h17

A Comissão de Infraestrutura do Senado aprovou nesta quarta-feira convite ao diretor de Infraestrutura Aeroportuária da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Rubens Vieira, envolvido em esquema de tráfico de influência no governo federal, a prestar esclarecimentos aos parlamentares. Rubens foi preso na Operação Porto Seguro, deflagrada na sexta-feira passada, e está afastado do cargo. Ele é irmão de Paulo Vieira, diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), apontado como chefe da quadrilha. Assim como Rubens, Paulo está preso e afastado do cargo.

Rubens Vieira é o primeiro entre as peças-chave do esquema a ter requerimento aprovado para falar no Congresso. O governo manobra para evitar que os irmãos Vieira, a ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo, Rosemary Nóvoa de Noronha e o número dois da Advocacia-Geral da União (AGU) José Weber Holanda, que também caíram com o escândalo, sejam chamados para falar no Congresso.

Por não se tratar de autoridade do governo, Vieira não poderia ser convocado, mas apenas convidado a prestar informações aos senadores. Se optar por comparecer para falar do esquema e de sua atuação à frente da diretoria da Anac, Vieira poderá ir ao Senado já na próxima semana, quando a Casa deverá iniciar sequência de audiências com autoridades sobre o caso.

Leia também:

Publicidade

Leia também: A carreira meteórica de Rubens Vieira na era Lula

Rubens Vieira é apontado pela Polícia Federal como um das peças-chave do esquema criminoso de venda de pareceres e tráfico de influência em órgãos federais e agências reguladoras. Vieira foi indicado para o cargo por Rosemary.

Ministros – Comissões do Senado e da Câmara aprovaram também convites aos ministros Luís Inácio Adams (Advocacia Geral da União) e José Eduardo Cardozo (Justiça), e ao presidente da Anac, Marcelo Guaranys, que devem falar aos parlamentares na semana que vem.

Nesta quarta, já haviam sido aprovados requerimentos para que Cardozo e Adams falassem à Comissão de Constituição e Justiça do Senado. De acordo com o líder do governo, Eduardo Braga, a proposta é que Cardozo preste depoimento às 11 horas da próxima quarta-feira. Adams falará em seguida. Como o requerimento foi aprovado, nesta terça-feira, também na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização (CMA), a audiência ocorrerá em conjunto, com presidência da CCJ.

Publicidade